32ª DP (Taquara)
32ª DP (Taquara)Divulgação/PCERJ
Por O Dia
Rio - Policiais da 32ª DP (Taquara) prenderam, nesta terça-feira, uma mulher e um homem que integram uma das maiores organizações criminosas da Região Norte do país. Segundo as investigações, a acusada é responsável por enviar maconha do tipo 'skunk', de maior poder alucinógeno, produzida na Colômbia, e distribuir em comunidades do Rio. A prisão aconteceu no centro de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, em uma ação integrada de inteligência, que contou com apoio da Secretaria de Operações Integradas, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e de policiais civis mineiros.
De acordo com os agentes, a mulher e o homem, que não tiveram as identidades reveladas, foram até um hotel em Belo Horizonte para renegociar valores de fretes do transporte de entorpecentes. Após uma ação integrada de inteligência, a dupla foi presa. No momento da abordagem, o casal apresentou documento falso. Contra os dois foram cumpridos mandados de prisão em aberto.
Publicidade
Segundo as investigações, a droga entrava no Brasil pelos rios dos estados da Região Norte. Posteriormente, era distribuída para comunidades cariocas controladas pela organização criminosa.
A mulher era foragida do estado de Amazonas, onde é investigada por tráfico de drogas e homicídios. Ela estava escondida há dois anos na comunidade Nova Holanda, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Além de ter a função de enviar a maconha, ela ainda comanda pontos de venda de drogas no bairro Alvorada, em Manaus, para seu companheiro, que está preso em um presídio federal por tráfico e pelo homicídio do delegado Oscar Cardoso, ocorrido em 2014.
Publicidade
A criminosa também foi apontada pela Polícia Federal, em 2015, como responsável pela contabilidade e lavagem de dinheiro do tráfico comandada pelo companheiro. Já o homem preso durante a ação em Belo Horizonte possui diversas anotações por tráfico de drogas.