Operação visa milícia comandada por policial militar presoReginaldo Pimenta / Agência O DIA

Rio - Mesmo de dentro da cadeia o policial militar Nilson Miranda de Carvalho Neto, conhecido pelos apelidos de Samurai ou Ninja, dava ordens para as ações de um grupo paramilitar que atua em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, segundo o Ministério Público do Rio. Ele é o principal alvo da operação realizada nesta quarta-feira (15) entre o MPRJ e a Polícia Civil. Ao todo, 13 mandados de prisão contra policiais militares na ativa e ex-PMs foram expedidos. 
Segundo a denúncia, o grupo explora sinal de TV clandestino, venda de gás, água, além de práticas de agiotagem, extorsão a comerciantes com a cobrança de taxas de segurança e controle sobre pontos de mototáxi, mediante cobranças, com ameaças e violência.
O policial Nilson Miranda foi indiciado por crimes como homicídio e formação de quadrilha. O grupo comandado por ele é, segundo o MP, considerado de "alta periculosidade". 
A Justiça do Rio acatou o pedido do Ministério Público e determinou que todos os policiais alvos da operação desta quarta sejam afastados de suas funções. 
O bando atua nas regiões da Malvina, Venda Velha, Parque José Bonifácio e Pau Branco, todas em São João de Meriti. 
Procurada, a Polícia Milita informou que "a Corregedoria da Polícia Militar apoia uma operação realizada pelo Ministério Público e Polícia Civil para cumprir mandados de prisão contra quatro policiais militares e ex-policiais".