Por ASSINATURA REPÓRTER
Publicado 08/01/2018 18:04 | Atualizado 08/01/2018 22:27

O garçom Sady Francisco, 55 anos, não gostou nada das novas tarifas nas linhas intermunicipais de ônibus e vans, anunciadas pelo Detro. A partir de domingo, quando os novos valores passarem a valer, o garçom, que mora em São Gonçalo e trabalha no Rio, vai gastar mais cinco centavos por cada passagem, já que a tarifa do ônibus que pega, o 771D (Pendotiba - Candelária), passa de R$ 8,20 para R$ 8,25.

A revisão das tarifas foi determinada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), a partir de comunicado do Ministério Público, alertando que, desde 2013, leis federais promoveram desoneração fiscal e acabaram com as cobranças de PIS e Cofins para empresas de transporte público coletivo. Se a intenção do TCE era reduzir os preços, em alguns casos, o plano teve efeito contrário. Algumas linhas vão cobrar mais pela passagem. "Fico chateado, mas não estou surpreso com a notícia. Afinal, dificilmente se faz revisão para beneficiar o trabalhador", reclamou o garçom.

Haverá boa notícia de redução no preços das passagens também. A tarifa da van 134L (Casemiro de Abreu - Rio das Ostras) cairá em 53%, a partir do dia 15, passando de R$ 10,80 para R$ 5,05. Com os novos valores, a passagem de ônibus mais cara no estado é a Rio - Raposo (Itaperuna), via Niterói e BR-101. Para fazer a viagem de cerca de 420 quilômetros, o passageiro vai desembolsar R$ 128,40. Antes, era R$ 136,30.

Você pode gostar
Comentários