Brazilian military on patrol in Jacarezinho favela in Rio de Janeiro on January 18, 2018. 
The military began similataneous operations in four different favelas as part of a crackdown on drug traffickers. The mandate for Brazil's Military to assist the country's police forces during dangerous raids on traffickers in favelas has been extended until the end of 2018 due to the high rate of murdered police officers and drug related violence.  / AFP PHOTO / CARL DE SOUZA - AFP PHOTO / CARL DE SOUZA
Brazilian military on patrol in Jacarezinho favela in Rio de Janeiro on January 18, 2018. The military began similataneous operations in four different favelas as part of a crackdown on drug traffickers. The mandate for Brazil's Military to assist the country's police forces during dangerous raids on traffickers in favelas has been extended until the end of 2018 due to the high rate of murdered police officers and drug related violence. / AFP PHOTO / CARL DE SOUZAAFP PHOTO / CARL DE SOUZA
Por MARCO ANTÔNIO CANOSA

Rio - Digno de uma autêntica operação de guerra, um contingente de três mil homens do Exército e outros 400 das polícias Civil, Militar e Federal, cercou e invadiu o Jacarezinho e outras favelas da Zona Norte, ontem, em mais um dia de caçada aos assassinos do delegado Fábio Monteiro, morto há uma semana por bandidos da região. Porém, a primeira operação integrada das forças de segurança no Rio neste ano, mais uma vez, não alcançou o objetivo por causa de um inimigo bem conhecido: o vazamento de informações.

Como já havia acontecido em agosto do ano passado, durante caçada a assassinos de outro policial civil, Bruno Xingu, da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), também morto no Jacarezinho, quando as tropas chegaram ontem, os alvos já haviam escapado.

Em entrevista à Rede Globo, o delegado Marcus Amin, da Delegacia de Homicídios de Niterói, admitiu o vazamento."O vazamento é quase uma certeza, mas não atrapalha o que é planejado para esse tipo de operação."

Segundo a Polícia Civil, 15 homens foram presos, alguns com mandados de prisão pendentes, e cinco menores, capturados. Também houve a apreensão de 118 projéteis, duas granadas e cerca de 100 quilos de drogas. Cinco carros e sete motos roubados foram recuperados.

O objetivo da operação era capturar Wendel Luís Silvestre, apontado como um dos envolvidos na morte do delegado Fábio Monteiro, e outros sete criminosos. Folhetos pedindo aos moradores que denunciassem os bandidos foram distribuídos, mas nenhum deles foi capturado.

 

Você pode gostar
Comentários