Vacinação em Niterói. No Horto Florestal de Niterói, pessoas são tranquilizadas sobra a doença e se já tomaram a dose da vacina contra a febre amarela.Personagem, Maria José de Souza Fraga. -   Estefan Radovicz/Agência O Dia
Vacinação em Niterói. No Horto Florestal de Niterói, pessoas são tranquilizadas sobra a doença e se já tomaram a dose da vacina contra a febre amarela.Personagem, Maria José de Souza Fraga. Estefan Radovicz/Agência O Dia
Por

Rio - No dia em que confirmou mais duas mortes por febre amarela no estado, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) anunciou a antecipação para dia 25 do início do fracionamento das doses de vacina contra a doença. Anteriormente, a medida, que divide em cinco cada uma das doses de vacina, para ampliar o número de pessoas atingidas, só deveria entrar em vigor em 19 de fevereiro. Segundo o Ministério da Saúde, a vacina fracionada garante imunização por oito anos, enquanto que a dose integral oferece proteção para a vida inteira.

Segundo a SES, a antecipação foi decidida em "em alinhamento com o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo e com o objetivo de construir uma estratégia conjunta de enfrentamento da febre amarela". O Dia D de vacinação, por enquanto, está mantido no Estado do Rio para dia 27, sábado. Nesta data, a vacina será oferecida em unidades de saúde, UPAs, instalações provisórias e até quartéis do Corpo de Bombeiros, nos 92 municípios do estado.

A dose fracionada passará a ser aplicada em pessoas de 2 anos até 59 anos, mulheres que estejam amamentando crianças maiores de 6 meses e idosos não vacinados, após avaliação de serviço de saúde. Por enquanto, os idosos só podem se vacinar se apresentarem atestados médicos.

Mesmo após o início do fracionamento, continuarão a ser imunizadas com doses integrais as crianças de 9 meses a 2 anos, pessoas com condições clínicas especiais, gestantes e viajantes internacionais que precisem do comprovante. A dose plena só precisa ser tomada uma vez na vida, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ontem, a SES confirmou que mais uma das mortes suspeitas em Valença, no Sul Fluminense, foi por febre amarela. O município tem sete casos da doença, sendo três óbitos. A secretaria também informou que a causa da morte do jovem de Miguel Pereira, que estava internado no Rio, na quarta-feira, foi febre amarela.

O número de casos confirmados da doença no estado neste ano chega a 13, sendo cinco óbitos. Em Teresópolis, foram três casos da doença e uma morte. Há ainda um caso de febre amarela em Nova Friburgo e outro Petrópolis em 2018.

A secretaria confirmou que o macaco encontrado morto em Niterói também tinha a doença. No município, os postos de saúde registraram longas filas na manhã de ontem. A ambulante Silvania Pereira, 48 anos, foi a dois postos, mas não conseguiu se vacinar. "Não me vacinei ainda. Ontem fui no posto de saúde do Foncensa e não tinha mais vacina. Hoje, cheguei aqui e não tinha também. Fico preocupada, pois foi registrado a morte de um macaco com a doença. Vou tentar ir em outro local novamente", conta a mulher em frente a Policlínica Regional Doutor Carlos Antonio da Silva, no Centro de Niterói.

Os postos de São Gonçalo, município vizinho, também tiveram filas desde o início da manhã. No posto Washington Luiz, no Zé Garoto, diversos pacientes chegaram antes das 6h. De acordo com a direção da unidade, 800 pessoas foram vacinadas na quarta e a expectativa era que 1,2 mil pacientes recebessem a imunização ontem.

Acompanhante de idosos, Antônia Maria da Conceição, de 52 anos, foi à unidade com a filha de 11 anos e disse que os postos do Centro estão mais cheios. "Moro na localidade Água Mineral, onde há muito mato. Procuramos os postos, mas eles estão superlotados. Muitos estão sem vacina. Muitas pessoas estão vindo para o Centro para se vacinar. Ontem meu vizinho chegou às 8h e saiu às 16h", contou a mulher.

 

Imunização de idosos: estado e município não se entendem
Vacinação em Niterói. No Horto Florestal de Niterói, pessoas são tranquilizadas sobra a doença e se já tomaram a dose da vacina contra a febre amarela.Personagem, Maria José de Souza Fraga.
Vacinação em Niterói. No Horto Florestal de Niterói, pessoas são tranquilizadas sobra a doença e se já tomaram a dose da vacina contra a febre amarela.Personagem, Maria José de Souza Fraga. Estefan Radovicz/Agência O Dia
Publicidade
Diante do novo quadro de febre Amarela, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) passou a recomendar que pessoas com mais de 60 anos passem a ser imunizadas. Entretanto, continua a dúvida de como os idosos devem proceder.
Em nota, a SES informou que devem tomar as doses de vacina fracionadas (que começam a ser distribuídas dia 25) "pessoas com mais de 60 não vacinadas, após avaliação de serviço de saúde". Entretanto, quando questionado sobre como será feita essa avaliação, o órgão informou que cabe aos municípios definirem os procedimentos.
Publicidade
Na cidade do Rio, no entanto, a prefeitura ainda não recomenda a vacinação dos idosos. "A vacina da febre amarela é feita com vírus vivo e tem contraindicações importantes. Idosos, por terem normalmente imunidade mais frágil (...), estão mais sujeitos a sofrer efeitos adversos. Por isso, em regiões sem a presença do vírus em circulação, como a cidade do Rio de Janeiro atualmente, a vacina não é indicada para pessoas de 60 anos para cima", afirmou a Secretaria Municipal de Saúde, acrescentando que a recomendação pode mudar após nova avaliação.
O infectologista Edmilson Migowisk, professor da UFRJ, explica que os protocolos devem mudar de acordo com a evolução do cenário. Ele orienta a vacinação para todos os idosos em locais que tiveram casos de macacos contaminados. "A vacinação se mostra estritamente importante em locais com intensa circulação do vírus. Nesse momento, o idoso deve se vacinar depois de fazer avaliação médica", afirma Migowisk, lembrando que a taxa de mortalidade da doença pode chegar a 50%.
Publicidade
POSTOS DE SAÚDE QUE APLICAM A VACINA
Publicidade
SÃO GONÇALO
Alcântara Rua Concórdia, s/nº Dr. Hélio Cruz
Publicidade
Boaçu Rua Capitão Acácio, s/nº Dr. Alexander Fleming
Engenho Pequeno Rua Caminho da Tenda, s/nº Francisco Ribeiro
Publicidade
Fazenda dos Mineiros Rua Exp. Manoel Chagas, s/nº USF Carlos Chagas
Itaúna Rua José Moura e Silva, 527 USF Itaúna
Publicidade
Jardim Catarina Rua Cariranha, s/nº Dr. Jorge Teixeira de Lima
Maria Paula Av. Odelon Noberto Ferreira, s/nº Doutel de Andrade
Publicidade
Porto da Madama Rua Ary Parreiras, s/nº USF Robert Koch
Porto do Rosa Rua Gomes Teixeira, s/nº Paulo Marques Rangel
Publicidade
Rio do Ouro Rod. Tronco Norte Fluminense, 18 Pólo Sanitário Rio do Ouro
Sacramento Estr. do Sacramento, 28 Emilio Ribas
Publicidade
Santa Catarina Rua Dr. Jurumenha, s/nº USF Luiz Carlos Prestes
Santa Izabel Est. Serrinha Cordeiro, 53 USF  Santa Izabel
Publicidade
Sete Pontes Rua Heitor Leví, 34 Clínica Gonçalense do Mutondo
Trindade Av. Domingos D. Duarte, 809 USF Irmã Dulce
Publicidade
Zé Garoto Rua Zé Garoto, 62 Washington Luiz Lopes
Você pode gostar
Comentários