rainha padre miguel - divulgação/wallace mendonça
rainha padre migueldivulgação/wallace mendonça
Por

Asegunda noite de desfiles das escolas de samba da Série A, promete dar continuidade à festa iniciada na sexta-feira. Hoje, sete agremiações passam pela Marquês de Sapucaí, a partir de 22h: Alegria da Zona Sul; Acadêmicos de Santa Cruz; Viradouro; Acadêmicos da Rocinha; Acadêmicos do Cubango; Inocentes de Belford Roxo e, para encerrar, Unidos de Padre Miguel.

Inocentes de Belford Roxo
Inocentes de Belford Roxo
Inocentes de Belford RoxoDivulgação
Publicidade
Horário: 1h45
Enredo: Mojú, Magé, Mojubá - Sinfonias e
Publicidade
Batuques
Compositores: Cláudio Russo e André Diniz
Publicidade
Um batuque africano me chamou
A pintura fez da tela, seu lugar
Publicidade
Os prazeres vão se refletir
Nas histórias que eu vou contar
Publicidade
Sai o trem da estação, pra trilhar esta canção
Moju, Magé, Mojúbá!
Publicidade
Luz dos olhos de Olodumare em cada amanhecer
Toca o atabaque, onde a África aportou
Publicidade
Clamando por piedade
Toca o atabaque, onde a lágrima aportou
Publicidade
Maria Conga ergueu a liberdade
Benta água, ritos tão divinos
Publicidade
Sentimentos cristalinos
Pureza a pé, procissão
Publicidade
Se a festa é de Pedro, não demora
Nossa fé, senhora, desta oração!
Publicidade
A tribo que chegou aqui primeiro
Deu o nome feiticeiro às entranhas desse chão
Publicidade
Auê, auê na riqueza da pingueira
Pra escorrer a doçura brasileira
Publicidade
Caminho do nobre metal
Pavio de fogo e fé
Publicidade
Da luta contra o Marechal
Aos dribles na vida, Mané
Publicidade
Folia de todos os reis
E o samba desabrochando em flor
Publicidade
Nas cores do pintor
Querem pemba, querem guia
Publicidade
Querem figa de Guiné
Axé, Magé!
Publicidade
Sinfonia de tambores
Hoje a gira vai girar
Publicidade
Ê mojúbá, ê mojúbá
Publicidade
Unidos de Padre Miguel
 Unidos de Padre Miguel
Unidos de Padre MiguelDivulgação
Horário: 2h30
Publicidade
Enredo:Eldorado submerso: delírio
Tupi-Parintintin
Compositores: Cláudio Russo, Xande de Pilares, W. Corrêa, Ribeirinho, Alan Santos, Toninho do Trayler, Carlinhos do Mercadinho, Cabeça do Ajax e Jefinho Rodrigues
Publicidade
O dia vai raiar
A Unidos vem contar que, ouvindo o chamado do pajé
Publicidade
Saí do beiradão entre o real e a ilusão
Pra mergulhar nas águas do igarapé
Publicidade
Senti quando vi macucauá
O desejo de brilhar, feito a luz das Três Marias
Publicidade
Senhor, me responda o que preciso entender?
Irmão, há um mistério que habita cada ser!
Publicidade
Você renasceu com a missão de se encontrar
No abraço da fera encantada
Publicidade
Aquela que guarda o fogo no olhar
Clareou Cidade Dourada
Publicidade
No fundo das águas a encantaria
O Amazonas tem na alma a criação
Publicidade
O começo e a razão delirantes de magia. Oh Yara! Oh Yara! Na correnteza, o sol e a lua vêm bailar
Oh Yara! Oh Yara!Em seu castelo enfeitiçado ouvi cantar. Índio tupari prendeu Naoretá
Publicidade
Ao ver Mapuí, lembrei de voltar
Meu boi-bumbá, a pajelança dos parintintins
Publicidade
No festival de canto e dança ancestral tupi
Misturo encarnado e anil
Publicidade
Ecoa toada no samba
Auê Brasil! Passista de cunhã-poranga
Publicidade
No Eldorado eu sou guerreiro parintin
A vida caprichou, se garantiu em mim
Publicidade
Beijando o rio-mar, a noite tece o véu
Pro Boi Vermelho de Padre Miguel
Publicidade
Alegria da Zona Sul
alegria da zona sul
alegria da zona sulreprodução
Publicidade
Horário: 22h
Enredo: Bravos Malês! A Saga de Luiza Mahin
Publicidade
Compositores: Samir Trindade, Telmo Augusto, Fernandão, Girão, Marco Moreno, Marcelão da Ilha e Thiago Meiners
Jejê-Nagô ôôô
Publicidade
Ilumina meu caminhar
Diziam meus ancestrais na infinita imensidão
Publicidade
Voduns são a matiz da criação
Fui batizada Luiza, vi a fúria do invasor
Publicidade
Eu sou a virtude de Daomé
No meu sangue, a minha fé, bravura pra enfrentar
Publicidade
Coragem norteando o meu destino
Aprisionada aos porões no além-mar
Publicidade
Ô saudade que navega em águas claras
Fortaleza de um nobre coração
Publicidade
Salvador, então "africanizada"
Negra herança, raiz do meu chão
Publicidade
Lutar, para sempre lutar
À luz de Allah, a insurreição
Publicidade
Na pele, a força que inflama a negritude
Na revolta, atitude, pela libertação
Publicidade
Um grito por igualdade, orgulho dos ancestrais
A chama que persiste é esperança
Publicidade
Mesmo traída não me calarei jamais
A raça não se curva a chibata
Publicidade
Poesia eternizada nos meus ideais
Bate o tambor, um canto ecoa!
Publicidade
Ô kolofé, kolofé malê
Incorpora minha alma africana
Publicidade
Alegria é resistência, faz o sonho florescer
Publicidade
Acadêmicos da Rocinha
rocinha
rocinhadivulgação
Horário: 0h15
Publicidade
Enredo: Madeira Matriz
Compositores: Márcio André, Marquinhos do Armazém, Amaury Cardoso, Ronaldo Nunes, Rafael Prates, Flavinho Segal, Anderson Benson, JR Vidigal
Publicidade
Um olhar acende a luz da inspiração. Vem ilustrar Em preto e branco o meu Agreste. No taco da umburana, a matriz traçou a xilogravura de um matuto sonhador
Nos muros, vou retratar
Publicidade
A lida de sua gente
Nas feiras nuvens de balões,
Publicidade
Folheteiros de ilusões,
Doces frutas e piões O barro é ouro nas margens do Ipojuca. Floriu da palma o alimento dessa luta. Contra o Monstro do Sertão
Publicidade
Seca danada como essa ninguém viu, "Vamo" simbora que Asa Branca já partiu
Meu "Padim" faz chover,
Publicidade
São Jorge não vença o dragão!
Quem carrega a fé pra valer,
Publicidade
Vai seguindo a procissão
Estrelinhas lá no céu, alumiam Bezerros!
Publicidade
É São José Padroeiro! Qual "muié" pôs o cão na garrafa,
Quem viu casar Lampião?
Publicidade
É o pecado e a graça,
Desses causos do Sertão
Publicidade
Tem batuque pra Xangô, no pé da "Serra". Maracatú, Bumba-Meu-Boi
Papangú da minha terra
Publicidade
Nessa ciranda todo mundo vai chegar
Esse cortejo tem frevo e cantoria
Publicidade
Fiz de papel colè, as máscaras dessa folia!
Vem que a Rocinha chegou,
Publicidade
É nosso caso de amor
Deixa a borboleta te encantar,
Publicidade
Chora viola! (viola)
A minha história vai emocionar!
Publicidade
Unidos do Viradouro
viradouro
viradourodivulgação
Publicidade
Horário: 23h30
Enredo: Vira a Cabeça, Pira o Coração
Loucos Gênios da Criação
Publicidade
Compositores:Zé Glória, Lucas Macedo, William Lima, Gugu Psi, Lico Monteiro, Lucas Neves e Matheus Gaúcho
"É ter na mente" o dom da criação
Publicidade
Onde ser louco é inspiração
"Une verso" a melodia
Publicidade
Brincar de Deus e com as cores delirar
Nos sonhos meus, "Vinci" fazer acreditar
Publicidade
Desperta a voz que dá luz à invenção
Quem dera o infinito conhecer
Publicidade
E nesse azul, eu encontrei você
Além das estrelas, na imensidão
Publicidade
Voando nas asas da imaginação
Meu mundo especial, meu céu
Publicidade
Meu ideal
Quem foi que pensou algum dia
Publicidade
Que o homem iria se aventurar
Nas telas, nos livros
Publicidade
Tantos moinhos derrubar
Sei que a loucura é o "X" da questão
Publicidade
"Ser ou não ser" mais um entregue à razão?
Fazer do lixo uma bela fantasia
Publicidade
Eu sou um sonhador, um pierrô alucinado
Artista de uma escola de verdade
Publicidade
Orgulho de ser comunidade
É de arrepiar a nossa emoção
Publicidade
Sou Viradouro, sou paixão!
É de enlouquecer, Viradouro
Publicidade
A cabeça desse povo
Tocou a alma, pirou meu coração
Publicidade
Não tem explicação
Publicidade
Acadêmicos do Cubango
cubango
cubangodivulgação
Horário: 1h
Publicidade
Enredo:O Rei Que Bordou o Mundo
Compositores: Gabriel Martins, Bello, Wagner Big, Junior Fionda, Marcio André Filho, Jairo e Gigi da Estiva
Publicidade
Velas ao mar, que o vento leve Nos mares da insanidade, naveguem:
Delírios, sonhos, devaneios. Por sete anjos me guiei. Num sopro divino, segui peregrino, andei
Publicidade
E não me fiz entender
Pensamento aprisionado por meus irmãos. Na mente à procura de ser. Enviado pela voz, o "Rosário" da razão.
Publicidade
Mas a arte irrompe a pele
Bordando o destino, a direção. O bem e o caos, rainha ou peão?No "Bispo", senhor, a salvação! Um inventário em jogo, à luz dos olhos teus Ao tabuleiro, as mãos de Deus! Parti pra fazer a minha chegança
Publicidade
O mundo, enfim, pude recriar. A emoção dos tempos de infância. Sagrado samba que faz relembrar: O manto e suas coroas. Tambores em procissão. Quilombos e cabaças. Alma do sertão
Sou mais um negro
Publicidade
Orgulho dos meus ancestrais. A vida eu colori de paz. Nas páginas brancas da memória, tingi de verde a minha história.Resgata, Cubango, o meu grande amor! Insano Nessa avenida eu vou!
Trançando em arte o sentimento mais profundo
Publicidade
Eu sou o Rei que bordou o mundo
Publicidade
Acadêmicos de Santa Cruz
santa cruz
santa cruzdivulgação
Horário: 22h45
Publicidade
Enredo: No Voo Mágico da Esperança,
Quem Acredita Sempre Alcançada
Compositores: Preguinho Santa Cruz, Tatiane Abrantes, Claúdio Mattos e Quinho
Publicidade
A esperança vai me guiar
Por esse mundo de tormento
Publicidade
Farei de ti o meu alento
Por todas as minhas andanças
Publicidade
Um coração de criança
É nossa força para viver
Publicidade
Hei de levar comigo os sonhos meus
Despertar o sentimento lá no fundo
Publicidade
Pois sou filho do dono do mundo
Eu levo trevo e figa de Guiné
Publicidade
Faço da crença, o meu patuá
Vi o meu destino nas estrelas
Publicidade
Deu Santa Cruz, pode acreditar
Pode acreditar, minha fé não costuma "faiá"
Publicidade
E ela move montanhas
Basta fechar os olhos e agradecer
Publicidade
Fazer o bem sem olhar a quem
Na esperança de um novo dia nascer
Publicidade
Quem me dera eu escrever o meu futuro
Que o planeta fosse um lugar mais puro
Publicidade
E o amor o combustível para caminhar
Que meu Brasil, se torne o País das Maravilhas
Publicidade
Tão belo como contam as poesias
No verde e branco é só acreditar
Publicidade
Na Santa Cruz de um menino
Que o ensinou um dia o que é amar
Publicidade
E hoje eu sou um peregrino
Nessa avenida a canta (a cantar)
Publicidade
Você pode gostar
Comentários