Por thiago.antunes
Rio - O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), em parceria com a Fundação RioZoo, realiza neste domingo, Dia Estadual de Repressão ao Tráfico de Animais, mais uma campanha de conscientização contra a captura e comercialização ilegal de animais subtraídos dos respectivos habitat naturais. Na ocasião, serão distribuídos folhetos com fotos e informações sobre as espécies mais visadas pelo tráfico e as que estão em risco de extinção, e de cartazes que reiteram a importância da data para a fauna silvestre.
Os animais capturados na natureza e mantidos em cativeiro ficam sujeitos à transmissão de doenças pelo contato com humanos e à má nutrição, uma vez que não recebem alimentação adequada. Afastados do habitat natural causam ainda danos ao ambiente e colocam em risco o equilíbrio da fauna.
Publicidade
De acordo com os organizadores, os compradores de animais silvestres são, geralmente, pessoas que querem bichos de estimação diferentes ou que desejam salvar os órfãos ou feridos. No entanto, esses quando crescem são abandonados ou entregues aos órgãos ambientais pela dificuldade em mantê-los ou pela natureza agressiva. A maioria não consegue voltar a viver livremente.
A Lei Estadual nº 3.467/2000 prevê penas de prisão e multa por “matar, perseguir, caçar, apanhar, coletar, utilizar espécimes de fauna silvestre” e para quem os vende, expõe à venda, exporta ou adquire, guarda, tem em cativeiro ou depósito, utiliza ou transporta ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre. O Dia Estadual de Repressão ao Tráfico de Animais Silvestres foi instituído em 1º de dezembro de 2007, pela Lei Estadual n° 5.098/2007.