Por paulo.gomes
Rio - A Unidade Prisional da Polícia Militar tem um novo comando. O tenente-coronel Murilo Sérgio de Miranda Angelotti deixou o cargo para a chegada do tenente-coronel Max Fernandes dos Santos. Essa é uma das primeiras ações do comandante-geral da PM, coronel Edison Duarte dos Santos Júnior, que tomou posse na última segunda-feira.
O tenente-coronel Angelotti estava no comando da unidade desde agosto do ano passado. Ele assumiu o cargo com a exoneração tenente-coronel Alexandre do Amaral Lourenço, após denúncia do DIA de que juíza Daniela Barbosa Assumpção encontrou numa inspeção no antigo BEP, em Benfica, churrasco, regado a picanha e linguiça, e mordomias na cadeia.
Publicidade
No entanto, durante a gestão de Angelotti, já no Presídio Vieira Ferreira Neto, em Niterói, uma operação do Tribunal de Justiça (TJ-RJ), Ministério Público (MP-RJ) e da própria PM, realizada em novembro, localizou 15 celulares, 21 DVDs piratas, uma sanduicheira, 37 facas e até uma churrasqueira elétrica dentro da unidade prisional.
LEIA MAIS
Publicidade
Publicidade
Dois dos celulares estavam escondidos dentro de um panelão com restos de uma feijoada, servida no dia anterior, e outros quatro em caixas de sabão em pó. Além disso, os promotores encontraram material de construção, makita, furadeira e marreta que os presos usavam para fazer obras nas dependências do presídio. Também foram apreendidos cerca de R$ 5 mil que estava dentro de um saco. O dinheiro seria uma arrecadação feita entre eles para as "melhorias" na unidade.