As virtudes do novo sedã compacto da Volkswagen

Com ótimo espaço interno, motor turbo e visual imponente, Virtus acirrou briga no seu segmento. Modelo já é líder de vendas

Por Lucas Cardoso

Teto tem desenho alongado e se estende quase até o porta-malas. Traseira lembra modelos da Audi, como o A4 -

Rio - Lançado em janeiro, o Volkswagen Virtus chegou para recolocar os sedãs sob os holofotes do mercado. As vendas do modelo vêm crescendo, ao ponto de ele já liderar entre seus concorrentes diretos. Segundo dados da Federação Nacional de Produtores de Veículos Automotores (Fenabrave), foram emplacadas 3.059 unidades do automóvel no mês passado. O número representa um crescimento de 39% em comparação aos dados de fevereiro. Para entender o porquê dos resultados positivos, O DIA testou, durante 12 dias, a versão Confortline TSI, que custa R$ 73.490.

Durante o período de testes, foram percorridos cerca de 450 km. A média de consumo foi de 11 km/l, utilizando-se gasolina (cidade e estrada). Não bastasse o ótimo acerto da suspensão do modelo, a eficiência do motor 1.0 TSI de três cilindros, capaz de render 128 cv, é um dos principais trunfos do carro. Apesar do tamanho e da litragem, o compacto motor turbo mostrou ótima força nas retomadas e nas ultrapassagens. Bastou pisar um pouco, e os mais de 20 quilos de torque empurraram o carro para a frente, já em baixa rotação. Tudo isso sem vazar para o interior da cabine o som do motor, mesmo quando o giro subia. O conjunto estava aliado a uma competente transmissão automática de seis marchas que fez, na maioria da vezes, as trocas sem trancos.

Faróis com máscara negra incrementam visual agressivo do sedã compacto da Volkswagen - Lucas Cardoso

Design

No interior, o modelo traz um design atual e sóbrio. Já no exterior, as linhas são agressivas e cheias de vincos, a exemplo de seu irmão menor, o Polo. Inclusive, da dianteira até a coluna B, o modelo é exatamente igual ao hatch. Para servir ao sedã, a plataforma do Polo foi alongada e cresceu 42,5 cm, resultando em 4,48 m. Apesar de ser maior, o modelo só pesa 50 kg a mais que o seu irmão menor.

Ao entrar no carro, o para-brisa mais inclinado dá a impressão de estarmos em um cupé e não em um sedã comum. A linha de teto bem curva, que se estende até o porta-malas, também surpreende pelo estilo moderno e lembra outros modelos produzidos pela alemã, como o Audi A4 e a nova geração do Jetta 2019. Na versão testada, a Confortline, o modelo está equipado com rodas liga leve de 16 polegadas.

Volkswagen Virtus Confortline - Lucas Cardoso

Entre-eixos

Em relação ao Polo, o entre-eixos cresceu 8,6 cm. O novo tamanho é de 2,651 m (mesma medida do Jetta). Essa mudança garante conforto para quem viaja atrás, uma vez que as pernas do passageiro dificilmente irão encostar no banco da frente. As medidas do Virtus só não favorecem no quesito altura. Na segunda fileira, quem tiver mais de 1,80 m certamente encostará a cabeça no teto. A altura da carroceria é de 1,46 m. Graças ao túnel central baixo, até quem senta no meio não enfrenta sacrifícios para acomodar as pernas e pés. O entre-eixos do Virtus é maior do que o do principal concorrente, o Fiat Cronos (2,521 m).

Porta-malas

No quesito porta-malas, o sedã da Volkswagen oferece 521 litros (221 litros a mais que do Polo). Outro ponto positivo do modelo é a presença de duas saídas de ar-condicionado, com regulagem de pressão e direção, e porta USB para quem senta na segunda fileira.

Mas nem tudo são flores. O interior do modelo não recebeu tanto capricho por parte da montadora. Não há rebarbas nem parafusos à mostra, é claro, mas os materiais utilizados poderiam ser de melhor qualidade. Para se ter uma ideia, apenas as portas do motorista contam com revestimento em tecido. Isso se torna um agravante se levarmos em consideração o valor do modelo (cerca de R$ 73 mil).

Painel

O painel tem computador de bordo e mostra todas as informações necessárias para o condutor. Na versão testada, há, inclusive, um monitor de pressão dos pneus, que indica a necessidade de calibrar os itens.

Também opcionais na versão testada, os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros conversam com a central multimídia de oito polegadas. Na habitual situação de vagas apertadas da cidade, o sistema casa bem com a direção elétrica na hora de estacionar o carro. Vale relembrar ainda que o Virtus tem quatro airbags, controle de tração e estabilidade; e assistente de partida em rampa. Aliado à tecnologia da estrutura, esses itens de segurança garantiram ao sedã a nota máxima (cinco estrelas) nos testes da Latin Ncap, assim como o Polo.

Galeria de Fotos

Teto tem desenho alongado e se estende quase até o porta-malas. Traseira lembra modelos da Audi, como o A4 Lucas Cardoso
Volkswagen Virtus Confortline Lucas Cardoso
Dianteira é exatamente igual a do irmão menor, o Polo. Mudanças só começam a partir da coluna B do veículo. fotos Lucas Cardoso
Porta-malas tem 521 litros de capacidade máxima. Bancos da segunda fileira podem ser totalmente rebatidos para ampliar a capacidade Lucas Cardoso
Versão Confortline, que tem preço inicial de R$ 73 mil, tem rodas de liga leve aro 16 polegadas Lucas Cardoso
Faróis com máscara negra incrementam visual agressivo do sedã compacto da Volkswagen Lucas Cardoso

Comentários

Últimas de Automania