T-Cross com motor 1.0 turbo é uma ótima surpresa

Equipado com o mesmo motor de Polo e Virtus, o primeiro SUV compacto da Volkswagen é equipado, tem bom desempenho e porte para bater concorrentes

Por Lucas Cardoso

Visual imponente mistura elementos da identidade visual da marca presente em outros modelos
Visual imponente mistura elementos da identidade visual da marca presente em outros modelos -

Rio - A poucos dias de chegar às concessionárias da Volkswagen em todo país, o primeiro SUV compacto da marca alemã, enfim, deu as caras em suas opções mais em 'conta': 200 TSI MT, 200 TSI AT e Comfortline 200 TSI. Equipadas com motor 1.0 turbo, mesmo utilizado em Polo e Virtus, as configurações tem preços que partem de R$ 84 mil e muito fôlego para brigar de igual para igual com concorrentes, como Hyundai Creta, Honda HR-V e Jeep Renegade.

A versão avaliada no evento de apresentação foi a Comfortline 200 TSI, que é tabelada em R$ 99 mil e deve ser a opção com maior fatia de vendas. Nessa opção, o T-Cross já vem bem recheado de série, com itens como ar-condicionado digital com saídas atrás, rodas de 17 polegadas e sensores dianteiros de estacionamento.

Mais incrementada, a versão testada também trazia o pacote Interactive que inclui central de oito polegadas com GPS, iluminação ambiente de LED e seletor de modo de condução por R$ 3.950. O acabamento também foi aprimorado com bancos de couro e itens de acabamento no painel, que acrescentaram mais R$ 1.950. Totalizando para a configuração testada o preço de R$ 104 mil.

O espaço interno é bom (2,65 m de entre-eixos) e até que o teto escurecido e os detalhes em tom marrom no painel dão um toque de acabamento premium, compatível com um modelo dessa faixa de preço. Contudo, apesar do acabamento mais elaborado, o modelo ainda tem plástico demais no painel e portas, o que pode desagradar alguns clientes. Esse é o calcanhar de aquiles do T-Cross.

Traseira tem acabamentos cromados que simulam saídas de escapamento - Lucas Cardoso

Mas vamos ao que interessa. Para conhecer o comportamento dinâmico do modelo, o percurso escolhido foi um trajeto de pouco mais de 200 km da Barra da Tijuca, com destino à Mangaratiba e depois no retorno para o Rio. No trajeto, o T-Cross com o três cilindros turbo 1.0 foi acima da média. Pelo rendimento do propulsor em outros modelos da marca, esperávamos que ele rendesse bem. E não precisou nem de 1 km na Avenida Lúcio Costa para sentir o bom torque de 20,4 quilos e os 128 cavalos gerados pelo motor TSI. De acordo com a Volkswagen, o T-Cross Comfortline acelera de zero a 100 km/h em 10,4 segundos, com máxima de 184 km/h.

Entregue logo em baixa, a força do propulsor deixa o modelo esperto para todas as situações normais de condução. Nem ultrapassagens em desníveis foram problema para o modelo. Colabora para o desempenho do SUV o câmbio automático Tiptronic de seis marchas, que faz com maestria todas as trocas. Ou seja, nada de trancos inesperados. Ainda falando sobre a transmissão, surpreendeu o fato do sistema permitir algumas reduções mais bruscas. Com o conjunto, o modelo passou tranquilamente pelas subidas e descidas à beira mar que cortam uma área de floresta e desembocam em Guaratiba, na Zona Oeste. A boa relação entre o motor turbo e o câmbio resultaram em uma média de consumo de 12,4 km/l (cidade/estrada).

Apesar de ser altinho, o modelo se mostrou equilibrado no percurso. O T-Cross freia bem, tem um sistema de suspensão que absorve bem os impactos e faz curvas como um carro mais no chão. Foram raros os momentos de sensação de rolamento da carroceria e de inclinação do carro. Vale destacar que o modelo traz diversos sistemas de segurança, entre eles os controles de estabilidade, tração e de bloqueio de diferencial, que reduz o risco em traçados mais fechadas (todos já de série, vale destacar). A direção elétrica também traz boa transição entre o pesado necessário para condução em alta velocidade e o leve de situações como em manobras de estacionamento. Outro ponto forte do T-Cross percebido durante a avaliação foi o isolamento acústico.

Cinco estrelas

O evento de apresentação da linha completa do T-Cross também foi marcado pela premiação do modelo com o troféu de carro cinco estrelas entregue pela Latin NCAP. Avaliado na última bateria de testes de colisão promovida pela entidade, o modelo conseguiu o selo de proteção máxima para adultos e crianças.

Na avaliação, o modelo passou por checagens de colisão frontal, lateral e lateral com poste. Em todos os cenários, os passageiros só tiveram escoriações leves. Lembrando que o modelo possui seis airbags (frontais,laterais e de cortina), além de diversos sistemas de segurança como o de frenagem autônoma que reduz o risco de agravamento em acidentes.

Galeria de Fotos

Visual imponente mistura elementos da identidade visual da marca presente em outros modelos fotos Lucas Cardoso
Lanternas interligadas por defletores dão destaque na traseira Lucas Cardoso
Versão conta com luz diurna de LED instalada junto ao farol de neblina Lucas Cardoso
Abaixo da Highline, todas as versões do T-Cross utilizam o motor 1.0 turbo com 128 cavalos e torque de 20,4 quilos Lucas Cardoso
Interior do T-Cross é inspirado em outros modelos da marca, mas também tem personalidade própria. A versão testada só não contava com o painel de instrumentos digital com tela em TFT Divulgação

Comentários