A evolução do leão

Nova linha do Peugeot 2008 muda de visual e ganha combinação mecânica importante para o sucesso do modelo no segmento

Por Lucas Cardoso

Traseira não recebeu nenhuma atualização
Traseira não recebeu nenhuma atualização -

Em time que está ganhando não se mexe, mas quando não é esse o caso, o melhor é mudar. E foi isso que a Peugeot fez com o novo 2008. Fabricado em Porto Real, no Sul Fluminense, o SUV de entrada da marca francesa ganhou uma reestilização e, enfim, o câmbio automático para o modelo turbo, com motor de 173 cv. A linha 2020 será vendida em quatro versões, com preços R$ 69.990 do tipo Allure 1.6, até R$ 99.990 da Griffe THP com motor turbo. Todas com câmbio automático.

As mudanças estéticas da linha 2020 do SUV Peugeot se concentram na dianteira e deixam o modelo mais parecido com os irmãos maiores: 3008 e 5008. A grade dianteira cresceu, ganhou detalhes em 3D e agora abriga o leão. Os faróis trazem luz diurna em LED, já disponível em todas as versões.

Ainda falando sobre o visual, o capô ficou mais alto e o para-choque ganhou novas molduras para as luzes de neblina. As mudanças na peça dianteira resultaram em um ângulo de ataque maior (23°). Vale ressaltar que o design é exclusivo para o mercado da América Latina.

Presente apenas nas versões mais caras, as caixas de roda e molduras laterais em plástico preto agora fazem parte de toda a linha do SUV. Outra alteração dos lados é a adoção de acabamentos em preto brilhante no vidro das portas traseiras e rack do teto. As rodas de liga aro 16 também passaram a ter desenho atualizado.

Atrás, nenhuma mudança estética. Só o tampão do porta-malas que passa a ser dobrável. Saída inteligente que promete facilitar o acesso ao compartimento com capacidade de 355 litros. O interior mantém o bom nível de acabamento e ergonomia louvável do I-Cockpit Peugeot. O sistema coloca tudo na mão do motorista e se destaca pelo volante menor, com bases retas.

Como anda

Nosso primeiro contato com o 2008 atualizado foi com a versão Griffe, que utiliza o motor 1.6 aspirado de 115 cavalos e torque de 16,1 kgfm (mesmo da linha anterior). Percorremos 121 km em um trajeto do centro de São Paulo até o município de Tuiuti, Região Metropolitana de Campinas. Assim como na linha anterior, o propulsor apresentou praticamente o mesmo desempenho.

Para a cidade, o câmbio automático de seis marchas consegue extrair o melhor desempenho do propulsor, o que garante que ele se saia bem em quase todas as tarefas desse cenário. Na estrada, por outro lado, o motor dá sinais de cansaço. Retomadas, por exemplo, forçam a subida do giro de maneira exagerada. Fica a impressão de que há peso demais e potência de menos.

O sistema de suspensão, que também não mudou em relação a linha anterior, absorve bem os impactos e transmite pouco balanço para quem vai na cabine. Outro ponto positivo do modelo é o bom comportamento em curvas. A direção elétrica responde bem em baixa velocidade. Por outro lado, quando o veículo circula em alta velocidade, passa a impressão de ser um pouco 'boba'.

Motor turbo

Mas o melhor da linha, a versão com motor 1.6 THP, que, enfim, ganhou o câmbio automático de seis marchas, só chega ao mercado no quarto trimestre. Esteticamente, a versão é igual a Griffe com motor aspirado, mas os cavalos a mais fazem grande diferença no desempenho. Tivemos a prova disso após algumas voltas em um circuito fechado no interior de São Paulo.

Com o motor turbinado, o modelo fica bem mais esperto e responsivo ao acelerador. Segundo a marca, a ausência da combinação da transmissão automática com o motor maior na linha anterior do modelo era resultado de uma limitação de engenharia. Para combinar a dupla, foi necessário aumentar o berço do motor. A versão chega às concessionárias da marca com preço já definido em R$ 99 mil.

O 2008 mudou para melhor, tem bom custo-benefício e deve atrair maior número de compradores após o lançamento da versão THP. Estímulos da marca para isso não faltam. Entre eles, a promessa de dobrar número de concessionárias e a campanha Total Care, que garante a satisfação do cliente com o pós-venda. Se tudo der certo, a Peugeot vai conseguir os 30% de crescimento nas vendas esperado.

Nível de equipamentos

Bem recheado, o modelo conta com ar-condicionado, quatro airbags, luz diurna de LED, retrovisores com ajuste elétrico, volante multifuncional, central multimídia com tela de sete polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay, controle de cruzeiro e entre outros. Tudo isso de série.

A partir das versões mais completas, vai adicionando equipamentos, com destaque para os seguintes itens: câmera de ré, rodas de liga 16, airbags de cortina, ar-condicionado digital de duas zonas, sensor de chuva e de luminosidade e sensor de estacionamento.

Galeria de Fotos

Traseira não recebeu nenhuma atualização Lucas Cardoso
Dianteira do SUV compacto traz visual alinhado com o design do restante da linha Peugeot fotos Lucas Cardoso
Revestimento em preto fosco nas caixas roda e lateral do carro agora são de série Lucas Cardoso
Acabamento na parte superior dos vidros deixou de ser metálico e passou a adotar o black piano Lucas Cardoso
Motor turbo da versão THP é o mesmo instalado no C4 Cactus Lucas Cardoso
Traseira não recebeu nenhuma atualização (E) Interior do 2008 mantém proposta I-Cockpit de primeira geração (abaixo) Lucas Cardoso
O modelo é o único da categoria a oferecer teto panorâmico Lucas Cardoso

Comentários