Fiat confirma nova linha de motores turbo e três SUVs

Nova linha com potência variando de 120 até 180 cavalos deve chegar em 2020

Por Lucas Cardoso

Motores devem ser aplicados em Argo, Cronos, da Fiat, e Renagade e em versões de entrada do Compass, da Jeep
Motores devem ser aplicados em Argo, Cronos, da Fiat, e Renagade e em versões de entrada do Compass, da Jeep -
Betim, Minas Gerais - A Fiat fabricará motores turbo 1.0 e 1.3 na fábrica de Betim, em Minas Gerais, a partir do final de 2020. O anúncio foi feito por dirigentes do grupo FCA em uma solenidade, no chão de fábrica, na quarta-feira. Além dos motores, a marca também confirmou que lançará três SUVs nos próximos anos. Os lançamentos fazem parte de um plano de investimento de R$ 8,5 bilhões, que serão injetados até 2024.
De acordo com a montadora, os motores já estão em fase final de projeto para adequação a tecnologia flex. O motor 1.0 terá três cilindros, 120 cv e torque de 19,3 kgfm. No caso do 1.3 turbo de quatro cilindros, serão duas opções de potência: 150 cv e 180 cv, ainda sem torque revelado. Além de equipar modelos da Fiat, a nova mecânica deve aparecer também noos modelos Jeep, como Renegade e em versões do Compass. 

Os motores devem chegar chegar primeiro, já em no fim de 2020. A família de propulsores turbo será fabricada em uma planta já existente da montadora. Para isso, a marca fará a alteração de toda a linha de produção. A marca não adiantou outras especificações dos motores, mas afirmou que eles terão bloco de alumínio, injeção de combustível do tipo MultiAir, que melhora o desempenho na hora da queima.
Durante o evento em Betim, os diretores da Fiat também confirmaram que os primeiros SUVs da marca serão derivados do conceito FastBack, que foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, no ano passado. A solenidade na Fábrica da FCA em Betim contou com a participação do governador de Minas, Romeu Zema, deputados, secretários e também do CEO Mundial da marca. Com a atualização da linha de produção para a fabricação dos novos motores, a Fiat deve contratar 1.200 funcionários de chão de fábrica.
Com o lançamento dos motores turbo, a Fiat deve, enfim, voltar ao mercado dos carros turbo. A Volkswagen bebe dessa fonte há algum tempo com a linha TSI e vem colhendo bons frutos. Resta saber se as expectativas serão atingidas. As tecnologias anunciadas da mecânica mostram potencial.

Comentários