Elétricos e híbridos perdem mais valor na Europa

Por

Se por aqui os motores menores e mais eficientes anotam as melhores posições quando o assunto é a depreciação, lá foram essa lógica parece não funcionar. Ao considerar, por exemplo, as motorizações elétricas e híbridas, que consomem menos combustível e poluem menos, segundo o site irlandês DoneDeal, veículo modelo elétrico cai de valor em média 41% após três anos de uso.

A queda é ainda maior quando o levantamento indica a depreciação de um carro do mesmo modelo movido a gasolina (24%) e um híbrido (26%). De acordo com o levantamento, que utiliza os valores cobrados no mês de agosto, a razão para isso é a evolução constante dessas tecnologias.

Perderam mais valor

Os cinco carros elétricos ou híbridos que mais perderam valor de mercado após três anos de uso (de 2016 para 2019) na Irlanda foram: Renault Zoe (61%) , BMW 33e (53%), Nissan Leaf (53%), BMW i3 (50%) e o Volkswagen Golf GTE híbrido (48%) — com exceção do Golf, todos já são vendidos no mercado brasileiro.

Com o baixo número de opções disponíveis, essa realidade negativa dos modelos elétricos e híbridos, no entanto, não deve se repetir por aqui.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários