Alegria no Ar
Coluna
Alegria no Ar
Com Fernando Mansur

A mente em harmonia

Nenhum homem pode agir, ou mesmo pensar ou sentir, sem se colocar imediatamente sob o domínio de ações compensatórias ou retributivas

Por Fernando Mansur

Neste mês primaveril, estamos compartilhando ideias florescentes extraídas do livro 'A Tradição Esotérica', de G. de Purucker, eminente teosofista. Seus livros ainda foram traduzidos para o português.

Ele entende que o Ocidente perdeu quase inteiramente o sentido da grande lei natural da Retribuição, ativa em todas as esferas do Universo; e por causa da perda da compreensão dessa ação retributiva, cresceu na psicologia ocidental o sentimento de que se pode fazer praticamente o que deseja, pode agir como quiser, sem necessidade de cair sob o domínio de uma Justiça inelutável e abrangente. Esse é um erro deplorável, e já é hora de a verdade sobre o assunto ser enfatizada.

Nenhum homem pode agir, ou mesmo pensar ou sentir, sem se colocar imediatamente sob o domínio de ações compensatórias ou retributivas, que o perseguirão ou seguirão até que o movimento acionado por ele tenha chegado ao fim. Eis a raiz do ensinamento teosófico da Retribuição Kármica, "aquilo que o homem semear, isso ele há de colher".

Qualquer pessoa que se envolve de alguma maneira na vida e, portanto, no destino de outros, torna-se ligada a esses outros e não pode libertar-se desses laços até que ela mesma tenha sofrido todos os efeitos, as consequências, que brotam das causas originais. A natureza proporcionará a retribuição exata pelas coisas mais prejudiciais ou mais benfazejas geradas por nós. Temos livre-arbítrio. Podemos escolher. Vamos!

Comentários