Só na brisa

A partir dos 22 graus, donos devem ficar atentos às necessidades do pet

Por Larissa Sant'Ana

Cuidados com os cachorros em dias quentes
Cuidados com os cachorros em dias quentes -

Mesmo que a previsão para este verão no Rio seja de temperaturas mais amenas e dias mais chuvosos em comparação ao ano passado, os donos de animais ainda precisam ter cuidados especiais para diminuir o impacto do calor e evitar que o cão entre em choque térmico. De acordo com a veterinária Wendi Caetano, a partir dos 22°C, é bom ligar o alerta. Nesses dias, os passeios devem ser feitos antes das 10h ou após as 17h. Hidratação é outro ponto importante: a quantidade ideal de água fresca ingerida diariamente é de 80 a 100ml por quilo. A tosa deve estar curta para que não haja aumento da temperatura corporal, e a manutenção do controle de pulgas e carrapatos deve estar em dia (nesta época, as infestações aumentam). Brincadeiras com água são bem-vindas. Arejar a casa e fazer o uso de tapete e osso gelados também. Donos de cães de raça braquicefálica e de porte grande ou gigante devem ficar ainda mais atentos, já que a tolerância delas ao calor é menor. Algumas dessas raças são: todos os buldogues, pug, shih tzu, lulu da pomerânia, golden retriever, labrador, bernese e são bernardo.

Gatos idosos

A Doença Renal Crônica atinge quase 50% dos gatos idosos, e mais da metade vai a óbito. A rapidez no diagnóstico é essencial. Os sintomas são: urina em excesso, muita sede e falta de apetite.

Adeus, ração!

Muitos donos estão substituindo a ração pela alimentação natural, para melhorar a qualidade de vida dos cães. A dieta, montada por um profissional, deve conter legumes, carnes e arroz, cozidos sem muitos temperos, e frutas.

Gato é resgatado de motor de carro

Gato é resgatado de motor de carro em Nova Friburgo - Arquivo pessoal

Esta semana, uma família de Nova Friburgo passou por algo inesperado: um filhote de gato entrou no motor do carro e foi necessária uma verdadeira operação para retirá-lo. Viviane Azevedo Porto conta que ficou sabendo da presença do animal por um bilhete deixado no para-brisa. "Após 1h30 de procura sem sucesso, decidimos chamar o reboque e levar o carro para a oficina, estava muito quente e alguma coisa precisava ser feita", contou. Ninguém sabe como o bichano foi parar lá, mas ele saiu sem nenhum machucado. Depois de tanta tensão, o gatinho ganhou uma família para chamar de sua.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários