Experimentos com animais: é justo?

A porquinha Genoveva teve um chip implantado no cérebro pelo projeto norte-americano Neuralink

Por Bete Nogueira

Porquinhos
Porquinhos -
A ONG de defesa dos animais PETA criticou os testes realizados pelo empresário Elon Musk no projeto Neuralink, nos Estados Unidos. O leitor de atividades cerebrais a partir de chips a serem implantados em pessoas, que promete conectar seres e máquinas de uma forma avançada, foi apresentada ao mundo através do experimento com uma porquinha, chamada de Genoveva.

A dra. Karynn Capilé, coordenadora de Bioética do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, comentou o caso:
"No mundo, cerca de 150 milhões de animais são usados e mortos em pesquisas científicas por ano. Esse número continua aumentando, mesmo após termos conhecimento da capacidade cognitiva e emocional dos animais e certeza sobre nossa responsabilidade em evitar seu sofrimento. No entanto, vemos que a opção de usar animais é muito disponível, praticamente não existindo filtros ou impedimentos para a sua realização. Havendo um projeto de pesquisa – mesmo que o produto final não seja enriquecedor – , a experimentação é utilizada.

"Isso acontece porque muitos veem animais como seres inferiores e é conveniente usá-los, ainda mais em um contexto que facilita a experimentação. Dessa forma, enquanto continuarmos acreditando no discurso de que 'o uso de animais é um mal necessário', pouca mudança será alcançada.

"Elon Musk é um empresário que necessita de mercado. Se seus consumidores demandassem a interrupção do uso de animais, outras formas de teste seriam desenvolvidas. Mas por que alguém investiria esforços em desenvolver algo que a própria sociedade não exige? Se ninguém cobra, todos se acomodam à ideia de que 'animais servem pra isso mesmo'.

"Todos temos responsabilidade nesta questão. No Fórum Animal, lutamos contra o sofrimento dos animais de laboratório criando oportunidade para diálogo com pesquisadores, conscientizando a população sobre as condições dos animais e a possibilidade de substituir o uso de animais por metodologias alternativas, promovemos palestras, cursos e incentivando o desenvolvimento de uma ciência mais responsável e justa."

Lua escolheu João e acertou em cheio!

Bicho do leitor: Lua - Arquivo pessoal
Essa garota linda, de quatro anos e meio, escolheu João Bottino quando o tutor foi a um canil atrás de um pet. "Buscava um cachorrinho macho, estava desistindo de procurar quando a Lua, ainda filhote, grudou no meu pé. Foi amor à primeira vista!" A golden adora um paparico, brincar no parque, principalmente com cachorros pequenos, e passear de carro. Lua tenta driblar João e a família na hora de ser limpar após os passeios. E para comer, João diz que rola um charminho - a não ser quando o assunto é banana: ela come três logo no café da manhã. Tá explicada tanta energia!

Para ter um periquito

Periquito em casa - Pexels
Periquito e suas peculiaridades - Pinterest
Ter um periquito pode ser uma ótima opção para quem está procurando um bichinho companheiro e muito amigável. Porém, assim como todos os outros animais, essa ave também exige cuidados exclusivos e especiais por parte do tutor para manter uma boa saúde.

O biólogo Tiago Calil, responsável pelo treinamento do setor de aves da Cobasi, conta a seguir algumas curiosidades sobre esse a ave e esclarece as dúvidas de quem está pensando em ter um periquito como pet.

De acordo com Tiago, periquitos são animais muito tranquilos de criar. Por eles serem muito sociáveis o recomendado é ter um casal de aves por gaiola. Esta precisa ser espaçosa o suficiente para que ambos os animais batam as asas e se movimentem livremente.

Outra recomendação é ter muitos brinquedos, como talos de madeira e balanço (eles amam). A manutenção diária do ambiente também é muito fácil, basta trocar a forração do fundo da gaiola, trocar a comida, lavar o bebedouro e repor a água filtrada. São animais que chegam a viver mais de 15 anos e estão entre as aves mais bem adaptadas em ambiente doméstico.

Na hora de comprar, é mais recomendado que você opte por animais jovens, que são mais fáceis de amansar. Também é necessário prestar atenção se a ave apresenta todas as suas características comportamentais. Por ser diurna, deve estar ativa, cantando, comendo, bebendo água, brincando com os companheiros da gaiola e com as penas rentes ao corpo.

Portanto, antes de comprar o periquito, dedique um tempinho observando os animais da gaiola. Animais isolados em um canto, com as penas eriçadas por muito tempo geralmente é sinal de que há algo de errado.

Sua reprodução é muito fácil. Basta ter um casal maduro (já todo formado), uma gaiola equipada com um ninho para periquitos e uma alimentação bem diversificada. Com esses cuidados, naturalmente a reprodução ocorrerá. Ambos os sexos cuidam da prole. Após a postura, os pais chocam os ovos por cerca de 20 dias.

Ao nascer, os filhotes estão totalmente pelados com os olhos ainda fechados. Nesse período, são alimentados através do bico dos pais, que armazenam uma espécie de papa na moela, e regurgitam esses alimento para os filhotes. Em pouco tempo os pequenos começam a se aventurar fora do ninho e se alimentar com a mesma comida dos adultos.

É possível perceber seu sexo através de uma estrutura localizada acima do bico, a carúncula. Quando adultos a carúncula do macho se torna azul e a da fêmea, marrom. Quando filhotes ou jovens essa visualização é mais difícil, pois as cores da carúncula ainda não foram definida.

Os periquitos são animais que podem conviver bem com indivíduos da outra espécie. Porém, por se tratar de um animal pequeno, normalmente acaba sendo alvo de outros tipos de pets. Isso acontece principalmente quando falamos de cães e gatos. Esses animais possuem o instinto de predadores e uma mordida ou patada, mesmo que por brincadeira, pode ser fatal. Portanto, Tiago Calil recomenda muita cautela com esse fator.

Por pertencerem a família Psittacidae, naturalmente os periquitos adoram vocalizar e chegam a ser barulhentos em certas horas do dia. Quanto à habilidade de falar, dificilmente conseguem repetir sons ou imitar a voz humana igual aos seus primos maiores, os papagaios.

Como deve ser feita sua alimentação?
A alimentação dos periquitos consiste basicamente em grãos e mistura de sementes: painço, alpiste, girassol, aveia, arroz cateto, senha e outras. Porém, é importante que sejam fornecidos complementos pelo menos três vezes por semana, como couve, almeirão, milho, maçã, banana, cenoura, pepino, giló.

Outra coisa necessária é o fornecimento de farinhadas (alimentos que complementam a dieta das aves) específicas para a espécie. É bom lembrar que qualquer alimento deve ser fornecido fresco, resíduos como cascas e restos que não foram consumidos devem ser retirados diariamente da gaiola.

O coração dos nossos amados

Problemas cardíacos em cães e gatos - Shutterstock

Nossos pets podem sofrer com doenças cardíacas. A veterinária Caroline Bettini alerta para alguns sintomas em cães e gatos: cansaço fácil, mucosas excretadas mais arroxeadas, falta de ar, tosse, bastante relutância a exercícios, perda de peso, falta de apetite e desmaios. Os sintomas das doenças cardiovasculares costumam ser comuns em cães e gatos e para todas as doenças citadas. Assim que perceber algum desses sinais em seu bichinho, ele deverá ser levado ao veterinário para um melhor diagnóstico.

Quando amor e dinheiro combinam

Coloque seu pet amado na nota falsa de 300 reais - Adrianna Calvo/Pexels

A nota de R$ 200 taí, e o lobo-guará não deu vez ao vira-lata caramelo, como muitos queriam. Mas a loja virtual Petz lançou sua própria nota, de R$ 300, para usuários personalizarem com a foto dos bichos que mandam em seus corações. Lúdica, a iniciativa faz parte de uma ação que beneficiará ONGs de ajuda animal. Corre lá no https://landingpage.petz.com.br/vira-lata-caramelo/.

Como se tivesse sete vidas

É verdade que gatos caem sempre em pé? Quase sempre, e isso muitas vezes salva sua vida: é seu reflexo de endireitamento. Como funciona? Seus olhos, os órgãos e ouvido interno informam ao bichano onde é que ele está no espaço, para que consiga aterrar em pé.

Vamos ajudar a Meg!

A ONG Abrigo dos Amigos, que resgata animais de rua, está pedindo ajuda para pagar a cirurgia da cadelinha Meg. A história da valente Meg e os dados para doações estão no Facebook e no Instagram @abrigodosamigosoficial. 

Galeria de Fotos

Problemas cardíacos em cães e gatos Shutterstock
Genoveva, a porca utilizada em experimento da Neuralink Reprodução internet
Porquinhos Pinterest

Comentários