Efetividade de 94% nas demandas nas ouvidorias em 2018, aponta estudo

Levantamento faz parte de relatório elaborado pela Comissão de Ouvidoria da CNseg. Ramo atendeu mais de 150 mil demandas no ano passado

Por Herculano Barreto Filho

Setor de seguros passa por reformulação com o auxílio de novas tecnologias
Setor de seguros passa por reformulação com o auxílio de novas tecnologias -
Rio - As ouvidorias do setor vinculadas à Confederação das Seguradoras (CNseg) tiveram uma eficiência de 94% dos atendimentos feitos em 2018. Em um universo de mais de 150 mil demandas no país, apenas 9 mil foram levadas para outras instâncias, como ações judiciais, Procons e Susep. O levantamento faz parte da 9ª edição do relatório do ramo.
Em média, foram registrados 410 atendimentos por dia pela Comissão de Ouvidoria da CNseg, responsável pela pesquisa. "O objetivo da publicação é apresentar o monitoramento das demandas, identificando temas de maior atenção e tendências", explicou Marcio Coriolano, presidente da confederação. "Os indicadores apresentados no relatório evidenciam a relevância do trabalho dos profissionais das ouvidorias no exercício de suas atribuições de mediação, prevenção e solução de conflitos, propondo melhorias de produtos e processos", completou Silas Rivelle Jr., presidente da Comissão de Ouvidoria da CNseg.
Para elaborar o documento, foram coletadas informações de 81 empresas e grupos associados, representando 90% da arrecadação de Seguros Gerais, 97,4% de Previdência Privada e Vida, 85,9% de Capitalização e outros 84,8% de Saúde Suplementar. O relatório também apresenta números detalhados por ramos, modalidades e canais.
Propostas de prevenção em obras sobre seguros ambientais
Pery Saraiva Neto, presidente do Grupo Nacional de Trabalho de Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Sustentabilidade da (AIDA), lançou o livro 'Seguros Ambientais: Elementos para um sistema de garantias de reparação de danos socioambientais estruturado pelos Seguros'. Ele destaca que o objetivo da publicação é buscar propostas de solução para riscos ambientais e seguros.
Para o autor, é preciso buscar soluções sustentáveis para evitar danos ao meio ambiente. "Não temos dúvida de que os seguros, pelo que historicamente representam como mecanismo de garantia e estabilidade econômica para as mais diversas atividades, podem agregar na construção de um moderno e eficiente sistema de gerenciamento de riscos ambientais", argumenta.
Iinspirado em Basquiat
A Brasilcap divulgou o seu relatório anual referente a 2018 com base nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI). Para ilustrar o material, a empresa de capitalização da BB Seguros escolheu a exposição Jean-Michel Basquiat, que ocorreu nos Centros Culturais Banco do Brasil, no ano passado. Fruto de uma negociação de mais de dois anos entre o CCBB e colecionadores internacionais, a mostra contou com mais de 80 peças. Cerca de 700 mil visitantes prestigiaram a exibição. 
 

Comentários