Evandro Malandro vive sonho na Grande Rio: 'Um guerreiro nessa comunidade apaixonada'

Após cinco anos no carro de som, intérprete fará sua estreia em 2019 como a voz principal da escola de Duque de Caxias

Por Pedro Logato

Evandro Malandro é o intérprete oficial da Grande Rio
Evandro Malandro é o intérprete oficial da Grande Rio -

Rio - Evandro Malandro está vivendo um sonho. Após cinco carnavais no carro de som da Grande Rio, o intérprete, de 38 anos, irá pela primeira vez ser a voz principal da escola de Duque de Caxias. Será uma grande oportunidade tanto para ele quanto para a agremiação da Baixada Fluminense, que acabou se mantendo no grupo Especial, mesmo após o conturbado desfile de 2018 e da 13ª colocação. Querendo viver a escola e a cidade, o cantor, que mora em Nova Friburgo, está se mudando para Caxias para o seu sangue ficar totalmente tricolor.

"A expectativa é a melhor possível. É um sonho poder fazer o que tanto amo no Grupo Especial e ainda mais numa escola com a expressividade da Grande Rio. Desde o momento que recebi o convite dos nossos presidentes (Leandrinho Soares, Helinho de Oliveira, Jayder Soares e Milton Perácio), coloquei na cabeça que todo empenho e toda dedicação precisava ser ainda maior e não faltará nada quanto a isso. O povo de Caxias pode ter a certeza que aqui tem mais um guerreiro dessa comunidade tão apaixonada e empenhada por esse pavilhão", afirmou.

Após ficar bem perto do título por alguns carnavais, a Grande Rio viveu um ano diferente em 2018. O desfile homenageando Chacrinha acabou enfrentando problemas. Uma alegoria quebrou, fazendo com que a escola desfilasse com um tempo acima do permitido. O rebaixamento para a Série A só não veio por conta de uma decisão da maioria das escolas de samba do Especial e da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro). Na sua chegada à agremiação tricolor, Evandro regravou alguns sambas históricos da Grande Rio para resgatar o orgulho caxiense a fim de buscar a volta por cima no ano que vem. 

Galeria de Fotos

Evandro Malandro e Diego Nicolau fizeram parceria na Renascer Rafael Arantes
Evandro Malandro é o intérprete oficial da Grande Rio Divulgação
Evandro ao lado de Emerson Dias Divulgação

"Regravar esses sambas é uma forma de construir um elo ainda maior com a comunidade de Caxias. A Grande Rio tem componentes e torcedores muito apaixonados e eu sei bem como é essa rotina. São cinco anos convivendo nessa escola que leva a missão de ser escola de samba muito ao pé da letra. A Grande Rio constrói sambistas, possui uma nação apaixonada e que faz de tudo por ela. Nada melhor que relembrar esses grandes momentos da escola e fazer a comunidade ter momentos como esses. É especial pra mim e pra eles também", explicou.

Apesar de ser um estreante como intérprete oficial no Especial, a Sapucaí é uma velha conhecida de Evandro Malandro. No último ano, ele foi a voz da Cubango, que fez um dos mais elogiados carnavais da Série A. O cantor também passou pela Renascer, quando dividiu os microfones com Diego Nicolau, que segue na agremiação de Jacarepaguá. 

"Foi um ano especial. É sempre difícil começar um novo desafio, um novo projeto. Tive um ano muito bacana na Cubango. Conheci pessoas incríveis que trabalharam comigo numa temporada muito especial. Foi, sem dúvidas, um desfile marcante pra escola e pra mim também. Saio de lá com a cabeça erguida e com a certeza que fiz parte de uma equipe muito vitoriosa", revelou ele, que elogiou o ex-companheiro de Renascer.

"O Diego é um grande irmão pra mim. Tivemos a chance de construir um trabalho diferente demais na Renascer. Fomos amadurecendo muito um com o outro e hoje considero o Diego um irmão mesmo pra mim. Torço muito pelo sucesso dele, assim como sei que ele sempre estará torcendo por mim. É um amigo e ídolo que tenho no mundo do Carnaval. Uma pessoa do bem", disse.

Na Grande Rio, Evandro terá a tarefa de substituir Emerson Dias, que foi intérprete oficial da escola de 2013 até este ano. Sobre o atual intérprete do Salgueiro, Malandro também fez muitos elogios.

"Emerson é um grande amigo, o cara que me deu a oportunidade de estar ali com ele na Grande Rio. Sou muito grato pela chance e por todo o aprendizado que tive ao lado dele. Substituí-lo não é fácil, mas vamos dando nossa cara ao trabalho, construindo cada degrau dessa escadinha e dando sempre o meu melhor por essa escola gigante que é a Grande Rio", concluiu.

Últimas de Carnaval