Padre Omar vai da missa no Cristo Redentor para o samba na Sapucaí

Sacerdote vai integrar o carro de puxadores da Unidos da Tijuca no Carnaval. Agremiação contará a história do pão e exaltará a fé

Por O Dia

Cantor profissional, padre estará pela primeira vez na Avenida
Cantor profissional, padre estará pela primeira vez na Avenida -

Rio - A Unidos da Tijuca vai contar com bênçãos divinas para o desfile deste ano. O reitor do Santuário do Cristo, Padre Omar, de 39 anos, será um dos puxadores da agremiação do Borel, que narrará a história do pão na Sapucaí. Com um samba que exalta a fé sagrada, a canção já é considerada pelos tijucanos como um 'samba-oração'.

Membro honorário da Academia Internacional de Música, o padre vai entrar, pela primeira vez, na Avenida, com direito a camiseta da escola e destaque no carro de som. "É o ápice de um trabalho que objetiva o bem, a valorização de elementos rítmicos e culturais da cidade do Rio", contou ele, que é colunista do DIA.

O convite partiu, primeiramente, do presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira. "Fiz a locução de um dos sambas que concorria na Tijuca, mas ficou em segundo lugar. O Castanheira então me perguntou sobre ser intérprete, e fui convidado oficialmente pelo presidente da agremiação, Fernando Horta", afirmou o padre, que na terça-feira celebrou o casamento do DJ Alok no Cristo Redentor.

Para o religioso, o diálogo com a cultura do Carnaval e do samba é importante. "A música é meu principal instrumento de evangelização. É importante customizar nossa atuação e presença sem perder a identidade católica. Sou padre 24h por dia", reforçou ele, que já lançou CD e DVD com participação de sambistas, e tem até o aval de Papa Francisco.

"Quando entreguei meu trabalho musical para o Papa, na Jornada Mundial da Juventude, em 2013, ele disse que era um bom terreno para semear a palavra de Deus", disse Omar.

A chegada do religioso também foi aprovada pelo intérprete Wantuir Tavares, 61, que está em seu sétimo Carnaval na Tijuca. "Foi uma surpresa ótima, o nosso intuito é cantar esse samba de um jeito bem harmônico, como pede um hino, e passar uma mensagem de esperança e fraternidade", pontuou Wantuir.

No samba da Azul e Amarela, Deus conversa com Jesus, que responde ao Pai pedindo a multiplicação do pão para o povo. "Se Deus é por nós, escute a voz que vem do meu Borel", apota um trecho da música.

"Existe fé no samba e samba na fé", finalizou padre Omar, que participa hoje, às 20h, do primeiro ensaio na quadra da agremiação.

Comentários

Últimas de Carnaval