Médicas fazem receitas visuais para humanizar relações com pacientes

As residentes de infectologia e psiquiatria adotaram, entre outras práticas, as prescrições ilustradas, que são de fácil entendimento e deixa o atendimento mais acessível

Por LUANA BENEDITO

Ana Elisa e Mariana querem humanizar cada vez mais a relação médico-paciente
Ana Elisa e Mariana querem humanizar cada vez mais a relação médico-paciente -
Rio - Nada de prescrição médica ilegível. Pelo contrário, o objetivo de Ana Elisa Almeida, 25 anos, residente de Infectologia, e Mariana Fontes 27 anos, residente de Psiquiatria, é humanizar cada vez mais a relação médico-paciente. Para isso, a dupla adotou, entre tantas outras práticas, as receitas visuais, que são de fácil entendimento e deixa o atendimento mais acessível.

“Durante nossa graduação tivemos matérias focadas na humanização da relação médico - paciente e isso inclui uma linguagem acessível ao paciente, de forma que ele entenda, participe ativamente do seu processo de saúde-doença, e tenha uma boa adesão terapêutica”, explicam as baianas.

De acordo com as médicas, foi a partir dos preceitos aprendidos nas aulas e na filosofia da slow medicine (medicina sem pressa) que elas decidiram utilizar recursos visuais, como desenhos e adesivos para ilustrar as prescrições. “Mais precisamente, a ideia surgiu da nossa observação de que a maioria dos pacientes usam muitas medicações para diferentes doenças e acabam não usando corretamente, muitos por não conseguirem organizar no seu dia a dia, outros por não saberem ler”, afirmam.

Segundo o levantamento mais atual divulgado pelo IBGE, o Brasil tem pelo menos 11,5 milhões de pessoas com mais de 15 anos analfabetas.
Ana Elisa e Mariana querem humanizar cada vez mais a relação médico-paciente - Reprodução Instagram


“A receita ilustrada deixa visualmente mais fácil e ajuda na assimilação do que foi prescrito, uma vez que utiliza recursos como símbolos e imagens (estimulando o hemisfério direito do cérebro, que é subjetivo/ criativo) e palavras pontuais (estimulando o hemisfério esquerdo do cérebro que é mais lógico/ objetivo). Como resultado, nos aproximamos da linguagem dos pacientes, os quais compreendem a informação e consequentemente, melhoram a adesão terapêutica”, completam as médicas.

As jovens ressaltam a importância de expandir as práticas para áreas além da Medicina da Família. “Fico feliz de fazer isso dentro de um hospital e de um ambulatório. Fico feliz de fazer isso dentro de outras atenções (secundária e terciária), e não da família que é a primária. Isso tem sido bom para a gente romper com alguns estereótipos e mostrar que a gente pode fazer mais, e não apenas que aquilo que acham que é conveniente pro hospital e para o ambulatório.”


A dupla tem compartilhado a rotina médica e as prescrições em um perfil no Instagram (@two.sides), que já conta mais de 8 mil seguidores. “Primeiro, criamos um blog, mas não tínhamos intenção de fazer o conteúdo totalmente voltado para medicina, falávamos sobre cuidados de beleza. No entanto, com o passar do tempo a gente foi amadurecendo também profissionalmente e pessoalmente. Nós conhecemos a medicina sempre pressa e consequentemente, as postagens do blog começaram a mudar”, conta Ana Elisa.
Ana Elisa e Mariana - Reprodução Instagram


A residente em infectologia diz que a recepção do público e dos colegas de profissão tem as surpreendido positivamente. “Quando os colegas vêem as prescrições ilustradas, eles acham muito legais. Tem uma receptividade bacana e se inspiram, e demonstram o desejo de fazer também. Alguns até comentam que gostariam de fazer, mas alegam que não sabem desenhar”, revela. “Então, graças a Deus, o nosso desejo de inspirar outros médicos do meio tem sido atingido”, orgulha-se.
Outras receitas viralizaram na web
Há duas semanas, a atitude de um dentista de Salvador viralizou nas redes sociais após um relato postado por Ricardo Cayres. Ele decidiu adaptar uma receita para uma paciente que não foi alfabetizada e fez uma versão ilustrada.
Em setembro do ano passado, a estudante de medicina Manuela Lemos comoveu a web por causa de uma receita médica customizada por ela para um paciente analfabeto na Unidade Básica de Saúde Condor, em Belém. 
 

Galeria de Fotos

Ana Elisa e Mariana querem humanizar cada vez mais a relação médico-paciente Reprodução Instagram
Ana Elisa e Mariana querem humanizar cada vez mais a relação médico-paciente Reprodução Instagram
Ana Elisa e Mariana Reprodução Instagram

Comentários