No dia do Orgulho LGBTQIA+, Vitória Strada exalta o amor: "Desperdício de quê? Estamos vivendo felizes, nos amando, não vejo nada de desperdício nisso"

Atriz, protagonista de 'Salve-se Quem Puder' afirma que não teve preconceito com o próprio sentimento ao assumir namoro com a também atriz Marcella Rica

Por Juliana Pimenta

Vitória Strada
Vitória Strada -

Rio - Hoje, 28 de junho, é o dia do Orgulho LGBTQIA+. A sigla, que mudou ao longo dos anos para que mais pessoas fossem contempladas, representa uma luta por inclusão social e política para pessoas com diferentes identidades de gênero e orientações sexuais. Protagonista de 'Salve-se Quem Puder', da Globo, Vitória Strada conta que reconhece a importância do movimento desde antes de assumir seu namoro com a também atriz Marcella Rica.

"Mesmo antes de ter um relacionamento com outra mulher, eu já era apoiadora dessa luta. Acho necessário estarmos sempre apoiando causas como essa, como a luta contra o racismo. É claro que sempre devemos deixar as pessoas que têm o lugar de fala estarem em primeiro plano, por isso 'apoiar'. Sempre tive em mente que viemos a esse mundo para sermos felizes. Felizes com quem somos, com quem queremos ser e com quem queremos nos relacionar. Temos o direito e deveria ser natural amar sem julgamentos", defende Vitória, que também se permitiu ser feliz.

"A minha experiência é de uma mulher que se viu apaixonada por outra mulher. Não tive preconceito com o meu próprio sentimento (o que, muitas vezes, acontece e a própria pessoa se impede de viver o amor que está sentindo) e decidi falar sobre isso como deve ser falado: com naturalidade. E fico muito feliz com a repercussão positiva que estou tendo. Vejo senhoras que são de outra 'época' e que assistiam às minhas novelas conseguindo entender e normalizar o que foi ensinado pra elas como 'errado'. E isso é lindo. Vejo pessoas se sentindo representadas e isso me traz uma felicidade muito grande", comemora a atriz.

O apoio do público é tão grande que Vitória e Marcella até se surpreenderam com tantas mensagens de carinho. "Temos fã-clubes do casal! (risos). Saber que você pode inspirar alguém a se libertar dessas amarras impostas há tanto tempo por uma sociedade patriarcal, machista e opressora não tem preço. Temos uma vida apenas e temos que ser felizes. De comentários idiotas, digo que foi 1 a cada 1.000. E daqueles bem bobos mesmo, como: 'Nossa, que desperdício'. Desperdício de quê? Estamos vivendo felizes, nos amando, amando nossos amigos e família, não vejo nada de desperdício nisso".

Rotina de casal

Vitória e Marcella começaram a morar juntas pouco antes da pandemia e, mesmo nas adversidades, a atriz conta que a sintonia do casal continua sendo o ponto alto da relação. "Percebemos que tínhamos duas casas, dois gastos e estávamos sempre juntas (risos). Eu e Marcella nos damos muito bem. Tão bem que, às vezes, nem é preciso dizer o que estou pensando, que ela vai lá e diz (risos). É nesse nível. Com o mundo de cabeça pra baixo que estamos vivendo agora, ficamos 24 horas juntas, e foi uma surpresa muito boa, no meio desse caos, ver que nossa relação continua bem, com muito amor, risadas e respeito", comemora Vitória, que tem procurado na arte uma alternativa para aliviar a rotina do isolamento.

"Eu sou uma pessoa ansiosa. Sempre tive uma rotina corrida e parar do nada para ficar em casa, mesmo sabendo o quanto sou privilegiada por poder ficar, me deixou bem ansiosa e angustiada em muitos momentos. É impossível não pensar nas pessoas que estão se arriscando todos os dias, naqueles que não têm o que comer enquanto muitos reclamam de não poder fazer festa. Nos momentos de mais tensão, eu costumo desenhar. Fico desenhando por um bom tempo, e isso me relaxa, me ajuda a focar no presente", conta.

Projetos

No papel de Kyra, de 'Salve-se Quem Puder', Vitória encarna sua terceira protagonista em sequência na Globo. A paralisação das gravações por conta da pandemia, inclusive, foi mais um desafio para a atriz. "Eu trabalho com o que amo, então sinto muita falta das gravações, dos parceiros de trabalho e da Kyra. Estávamos contando essa história com muito entusiasmo e dedicação. Foi difícil parar. Foi como uma ficha caindo de que a situação realmente estava crítica. E vemos que ainda está. Mas, ao mesmo tempo, fico feliz em trabalhar numa empresa que preza pela saúde dos seus colaboradores", defende Vitória, que já sonha com a retomada das atividades.

"Ainda não temos uma data certa, mas estou animada para ver o que nosso querido e talentoso autor (Daniel Ortiz) está preparando para a gente! Fiz duas mocinhas bem tradicionais, daquelas que sofrem tudo até o final feliz e, agora, estou explorando a comédia com a Kyra, o que tem sido uma delícia. Eu me entrego por inteira a cada trabalho. É uma dedicação de 100% mesmo. Amo muito o que faço", diz.

 

Comentários