MP investiga risco de infecção por acúmulo de corpos em hospital de Duque de Caxias

Prefeitura acusa funerária de negligência

Por O Dia

Corpos se amontoaram em corredor de hospital em Caxias
Corpos se amontoaram em corredor de hospital em Caxias -
Duque de Caxias - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Região Metropolitana I, instaurou procedimento administrativo para apurar o risco de infecção hospitalar devido ao acúmulo de corpos no necrotério do Hospital Municipal Moacyr Rodrigues do Carmo, em Duque de Caxias, no Parque Beira-Mar.

Na portaria de instauração, o MP requer que o secretário municipal de Saúde, dr. José Carlos de Oliveira, e a Concessionária dos Serviços Cemiteriais AGR-EYE obelisco acusem o recebimento do procedimento e prestem, no prazo de cinco dias, informações sobre o risco de infecção na citada unidade, que seria provocado pelo acúmulo de corpos, pela recusa da concessionária em retirá-los do local, apontando as medidas adotadas para sanar o problema.
Corpos são de pessoas diagnosticadas com Covid-19 - Divulgação
Entenda o caso:
No mês passado, fotos do necrotério do Hospital Municipal Moacyr Rodrigues do Carmo lotado de corpos ganharam as redes sociais. A Prefeitura de Duque de Caxias, responsável pela unidade de saúde, confirmou a informação e acusou a funerária da cidade de negligência. Ao menos 12 corpos estavam no corredor próximo ao necrotério, que tem capacidade total para 25 cadáveres e fica no subsolo do hospital. De acordo com a administração municipal, todos os cadáveres são de vítimas da Covid-19. Os corpos seriam de pessoas cujas famílias não têm condições de arcar com o sepultamento.

Galeria de Fotos

Corpos se amontoaram em corredor de hospital em Caxias Divulgação
Corpos são de pessoas diagnosticadas com Covid-19 Divulgação

Comentários