Apresentado no Inter, Guerrero elogia torcida: 'Foi a maior recepção que tive em um time'

Atacante já se coloca a disposição para estrear no domingo

Por O Dia

Guerrero foi apresentado no Inter-RS
Guerrero foi apresentado no Inter-RS -

Porto Alegre - Se depender da expectativa da torcida do Internacional, Paolo Guerrero terá que jogar muito para agradar os torcedores. Nesta quarta-feira, em Porto Alegre, o centroavante peruano foi recebido com festa por mais de mil torcedores no Aeroporto Internacional Salgado Filho e recepcionado com muita pompa no estádio Beira-Rio, logo depois de conceder a sua primeira entrevista coletiva como jogador do clube colorado.

Vestindo a camisa 79, que escolheu para fazer alusão ao tri do Campeonato Brasileiro conquistado de forma invicta pelo Internacional naquele ano, o peruano agradeceu à torcida pela recepção, evitou estabelecer uma meta de gols até o final desta temporada, garantiu se entregar em campo e disse já sonhar com títulos.

Guerrero foi acompanhado e saudado em sua apresentação pelo presidente Marcelo Medeiros, pelo vice de futebol Roberto Melo e pelo diretor executivo Rodrigo Caetano, este com quem trabalhou no Flamengo e que foi o principal responsável pela contratação do jogador de 34 anos.

"Com certeza foi a maior recepção em um time, por isso estou muito feliz de estar aqui. Pressão temos todos os jogadores para ganhar. Mas isso é a ambição do grupo, do jogador, que quer ganhar títulos, entrar na história do clube", disse o centroavante.

"Não tenho uma meta de gols. Futebol é ao meu jeito. Se tenho uma bola enfiada ou um cruzamento bom, vou fazer o gol. Gosto de meter raça. Centroavante toma na cabeça, se bate muito com os zagueiros. Sacrifício é o que posso prometer. Em toda bola dividida vou tentar ganhar", garantiu.

Apesar de mostrar vontade em estrear o mais rápido possível pelo Internacional, Guerrero terá que aguentar a ansiedade, já que ainda não deve estar à disposição para a partida em casa contra o Paraná, neste domingo, às 11 horas, pela 19.ª rodada do Brasileirão.

"A recepção foi incrível. Não tenho palavras para definir o que estou vivendo agora por pertencer a um grande clube como o Internacional. Já me coloco à disposição para jogar domingo, estou um pouco ansioso. Mas o atleta tem que se preparar um pouco. Acho que tenho que me preparar um pouco mais, vou ter uma conversa com o treinador para decidir. Mas quero estar em campo o quanto antes", afirmou.

Durante a entrevista coletiva, Guerrero fez questão de exaltar o momento que vive o Internacional, terceiro colocado na competição nacional com 35 pontos, a três do líder São Paulo, e a estrutura que o clube oferece. Segundo o jogador, o time gaúcho pode ajudá-lo a manter o sonho de disputar a próxima Copa do Mundo, em 2022, no Catar.

"Tenho muitos desafios, objetivos, de encaixar em um time que está fazendo uma grande campanha. Tenho vistos os últimos jogos e estão muito bem, ganhando de forma contundente", enalteceu. "A estrutura que tem o Internacional é fantástica, uma das melhores, estou fascinado com esse estádio, campo bom, todas as áreas estão muito bem para eu continuar com meu objetivo na forma física e chegar bem na próxima Copa. É meu sonho e um de meus objetivos", adicionou.

Após a entrevista, Guerrero se encaminhou para o gramado do estádio Beira-Rio. Lá tirou fotos com os fãs, distribuiu autógrafos, fez algumas embaixadinhas para os mais de cinco mil torcedores que celebraram a sua chegada. Os torcedores, muito empolgados, deram um bumbo com as cores do Inter ao jogador, que ainda carregou um bandeirão das torcidas organizadas e também recebeu um terço para orações.

Depois da recepção festiva, Guerrero seguiu ao CT do Parque Gigante para o primeiro contato com os jogadores e com o técnico Odair Hellmann.

Últimas de Esporte