Giovane Gávio pronto pata os desafios pelo Brasil e pelo Sesc RJ

Por ANA CARLA GOMES

O técnico Giovane Gávio
O técnico Giovane Gávio -

Rio - Os desafios são muitos. Comandando a base do vôlei brasileiro, o bicampeão olímpico Giovane Gávio mantém contato permanente com o técnico da Seleção adulta, Renan Dal Zotto, e ainda mira os objetivos que terá pela frente na próxima temporada pelo Sesc RJ. Na terça-feira, ele desembarcou no Brasil após ter comandado a Seleção de novos na Copa Pan-Americana, no México, onde a equipe brasileira ficou com a prata após ser derrotada por 3 sets a 2 na final pela Argentina. "Nosso objetivo era a classificação para o Pan-Americano (o Brasil disputará a competição em 2019, em Lima) e também queríamos testar jogadores para a Seleção principal. Perder a final por 3 a 2, num detalhe ou outro, é ruim, mas no fim o balanço é positivo", pondera Giovane.

Ele conta como é sua relação com Renan, que embarcou para a disputa do Mundial da Bulgária e da Itália. "O planejamento é todo feito junto com ele. O Renan está vivendo um momento importantíssimo, mas está sempre planejando com a gente. É muito importante isso porque estamos cada vez mais perto do momento de renovação da Seleção. Temos que preparar nomes para assumir esse espaço", diz Giovane, que comandará a Seleção sub-21 no Sul-Americano da Argentina ainda neste ano.

CONFIANÇA NO CLUBE

Em busca de novos talentos, a CBV lançou um recrutamento online de atletas. O jogador deve gravar um vídeo com trechos do seu desempenho e se cadastrar através do site da entidade. "É uma coisa nova e pode ser uma ferramenta a mais, mas as outras formas tradicionais têm que continuar acontecendo. Vamos estar em contato com os treinadores formadores nas equipes em diversas regiões do Brasil", diz Giovane.

Quando o assunto é a temporada de clubes, o técnico planeja ir longe com o Sesc RJ, que chegou à semifinal da última Superliga masculina em sua estreia. "Estaremos na tentativa de sermos de novo um time competitivo, querendo dar um passo mais alto, quem sabe participar da final da Superliga. Trouxemos jogadores importantes, o Wallace (campeão olímpico em 2016), e tivemos a conservação da base do time, em que acredito muito".

Comentários

Últimas de Esporte