Mais Lidas

CR7 pode perder R$5 bilhões em patrocínios como consequência de acusações de estupro

Empresas que tem astro português como garoto-propaganda estão acompanhando desenrolar dos casos

Por O Dia

Cristiano Ronaldo pode ser preso por dois anos
Cristiano Ronaldo pode ser preso por dois anos -

Inglaterra - Sendo acusado de estupro pela segunda vez nesta semana, as consequências estão começando a chegar para Cristiano Ronaldo. De acordo com o jornal britânico 'The Sun', o craque da Juventus pode perder até um bilhão de libras, cerca de R$5,1 bilhões, se grandes marcas colocarem ponto final na parceria.

Ainda que tenha negado o crime, a EA Sports afirmou que está acompanhando o desenrolar do caso de perto. A empresa usa CR7 como principal jogador da franquia lançada este ano.

"Nós vimos o relatório preocupante que detalha as alegações contra Cristiano Ronaldo. Estamos monitorando de perto a situação, já que esperamos que os atletas e embaixadores da cobertura se comportem de maneira consistente com os valores da EA", disse um porta-voz à publicação inglesa.

Outro exemplo é a Nike, que tem acordo vitalício com o astro português, assinado em 2016 com o valor de 760 milhões de libras, aproximadamente R$3,56 bilhões.

A nova acusação foi feita por uma mulher, que afirmou que o estupro aconteceu em 2005, na Inglaterra. Ainda segundo informações do 'The Sun', na ocasião, CR7 foi detido pela polícia inglesa, prestou depoimento e foi liberado mediante pagamento de fiança. A investigação não foi concluída porque a vítima retirou a denúncia. A identidade da mulher não foi revelada.

A advogada da norte-americana Kathryn Mayorga, a primeira vítima a acusá-lo, disse que gostaria de conversar com a outra mulher.

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia