Alerj vota projeto contra o assédio nos estádios de futebol

PL criará campanha permanente contra o assédio e a violência sexual nos estádios, com vistas à proteção das mulheres que frequentam eventos esportivos

Por O Dia

Maracanã, Rio de Janeiro.
Maracanã, Rio de Janeiro. -
Rio - A questão da segurança nos estádios de futebol chegou à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A Casa vota nesta quarta-feira, o projeto de lei, que cria no estado a campanha permanente contra o assédio e a violência sexual nos estádios, com vistas à proteção das mulheres que frequentam eventos esportivos.
O PL, que tem autoria da deputada Dani Monteiro (Psol), tem como objetivos centrais divulgar informações sobre esse tipo de problema, disponibilizar por meio de cartazes os telefones de órgãos públicos responsáveis pelo acolhimento e atendimento das mulheres vítimas de assédio e violência sexual, incentivar a denúncia, e promover a conscientização do público dentro dos estádios.


Dados do Dossiê Mulher 2019 mostram a gravidade do problema: cresce o número de mulheres vítimas dos crimes de estupro (85,6%), tentativa de estupro (90,9%), ameaça (66,8%), lesão corporal dolosa (65,3%), assédio sexual (90,9%), constrangimento ilegal (53,0%) e importunação ofensiva ao pudor (92,6%).


Observa-se ainda que as jovens são prevalentes nos casos de crimes de natureza sexual. Mulheres com até 29 anos totalizam 83,7% das vítimas de estupro, 63,6% das que sofrem tentativa de estupro, e 67,7% do somatório das vítimas de assédio sexual, ato obsceno e importunação ofensiva ao pudor.


“A finalidade da campanha é fazer com que o futebol seja mais do que um espaço de diversão e lazer, mas também de conscientização e suporte ao enfrentamento ao assédio e à violência contra a mulher”, explicou a deputada autora do projeto.

Comentários