Segundo ex-funcionária, Fernando sabia que medicamento era proibido na Rússia

Babá teria escutado conversas entre Fernando e sua esposa cujo o atleta teria afirmado que o remédio não podia entra na Rússia

Por O Dia

Robson Oliveira, motorista do volante Fernando, foi preso na Rússia e é acusado de tráfico de drogas
Robson Oliveira, motorista do volante Fernando, foi preso na Rússia e é acusado de tráfico de drogas -
Porto Alegre - Cristiane Teixeira, ex-funcionária do volante Fernando, que atualmente defende o Beijing Guoan, da China, revelou em entrevista ao "Esporte Espetacular", que o jogador sabia que o remédio que o motorista Robson Oliveira levava para a Rússia não era permitido no país. De acordo ela, conversas entre o jogador e o médico do Spartk Moscou, clube que atuava na época, comprova sua afirmação.
Cristiane que trabalhava como babá para a família do jogador, teria escutado uma conversa em que Fernando teria revelado a sua esposa Rafaella que o medicamento era proibido.
"Eu estava na sala brincando com o filho deles quando ele falou que o doutor, médico do Spartak, não poderia passar receita do remédio, pois esse remédio era proibido na Rússia", disse.
Robson de Oliveira está preso há mais de um ano na penitenciária de Kashira, acusado de tráfico de drogas e preparação para tráfico,após ter entrado na Rússia com duas caixas do medicamento Mytedon, que é legal no Brasil, no entanto proibido na Rússia.
Em algumas entrevista, Robson alegou que não tinha conhecimento que o remédio pedido por Fernando e sua família era proibido. O medicamento era para o sogro do jogador, Willian Farias. Caso seja condenado, Robson pode pegar até 20 anos de prisão.

Comentários