Boxeadora alega transmissão de substância em sexo sem camisinha e se livra de punição por doping

Após longa investigação foi comprovado que é possível que substâncias sejam transmitidas por relação sexual

Por O Dia

Ginny Fuchs escapou da pena da USADA após investigação que durou três meses
Ginny Fuchs escapou da pena da USADA após investigação que durou três meses -
Rio - A boxeadora norte-americana Ginny Fuchs, que testou positivo no doping para duas substâncias em março, foi absolvida ao demonstrar que as toxinas detectadas em seu corpo foram ingeridas via sexo. Segundo informações do site "TMZ", assim que soube do resultado, Fuchs ficou surpresa e alegou que a única justificativa para testar positivo seria por transmissão sexual, já que havia se relacionado sem camisinha com o companheiro. O homem confessou ter tomado medicamentos hormonais.
Após longa investigação da Agência Antidopagem dos EUA (USADA), foi comprovado que é possível que o letrozol e o GW1516 - substâncias encontradas no corpo de Fuchs - sejam passados durante relações sexuais.
"A USADA determinou que o parceiro masculino de Fuchs estava usando doses terapêuticas de letrozol e GW1516. Os metabólitos do GW1516 detectados em sua amostra foram consistentes com a recente exposição às substâncias por transmissão sexual", afirmou o órgão ontem.

Comentários