Montenegro vê possível projeto como salvação do Botafogo e provoca Flamengo: 'Ficou só no cheirinho'

Ex-presidente falou sobre o futuro do clube de General Severiano

Por O Dia

Montenegro ao lado de Nelson Mufarrej e Carlos Eduardo Pereira
Montenegro ao lado de Nelson Mufarrej e Carlos Eduardo Pereira -

Rio - O ex-presidente do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro está otimista com o futuro do clube. O dirigente campeão brasileiro em 1995 falou sobre o possível investimento que os irmãos Moreira Salles, torcedores alvinegros, podem fazer no Glorioso. Ele afirmou que caso isso se concretize, o futebol da equipe de General Severiano pode mudar de nível.

"Existe um projeto dos irmãos Moreira Salles (que sempre ajudaram o Botafogo pontualmente emprestando dinheiro, comprando jogador como no caso do Luis Fernando ou doando Centro de Treinamento) no qual está sendo feito um estudo sério para profissionalizar o futebol do Botafogo tornando-o empresa. Eles virariam acionistas, pegariam as receitas do clube, pagariam às dividas de forma paulatina por meio de royalties, obviamente o Botafogo teria várias garantias, mas com uma injeção dessas a gente mudaria de patamar e no futuro estaríamos brigando com todo mundo. Seria a salvação do clube", disse em entrevista à Rádio Tupi.

Os irmãos Moreira Salles contrataram a empresa Ernst & Young para fazer uma auditoria e elaborar um modelo de gestão profissional no departamento de futebol do Botafogo, que viabilize a “compra” do futebol Alvinegro. O objetivo é transformar o futebol do clube carioca em empresa, zerando as dívidas e assumindo a administração. Futebol e quadro social estariam separados no clube. A ideia está em fase de estudos, mas mexeu com o sonho do torcedor de ver um time forte, saneado financeiramente e novamente campeão.

O ex-presidente também avaliou a temporada de 2018 do Botafogo. O ano foi considerado positivo para o clube que foi o único do Rio a ser campeão. Montenegro aproveitou para alfinetar o maior rival do Glorioso.

"Realmente foi um ano em que os botafoguenses estavam meio pessimistas diante das dificuldades e acabou saindo melhor que a encomenda. Fomos campeões de terra e mar, ganhamos o Campeonato Estadual e o hexacampeonato no remo. Fomos o único time do Rio de Janeiro que ganhou alguma coisa. O Flamengo com muito mais investimento (folha salarial 3, 4 vezes maior) não ganhou nada. Ficou só no “cheirinho”", brincou.