O técnico Bruno Lazaroni analisa o nome de Bruno Zuculini - Vitor Silva/Botafogo
O técnico Bruno Lazaroni analisa o nome de Bruno ZuculiniVitor Silva/Botafogo
Por LANCE!
Rio - O tão apertado calendário finalmente deu um fôlego. E, provavelmente, não havia data melhor para isto: o Botafogo passa por uma sequência de sete dias sem compromissos oficiais antes do confronto contra o Cuiabá, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, na próxima terça-feira, no Estádio Nilton Santos.

O último duelo da equipe comandada por Bruno Lazaroni foi na segunda-feira da última semana: um empate sem gols com o Goiás. Os jogadores folgaram no dia seguinte em relação ao duelo, mas, depois disso, têm treinado todos os dias. E o treinador, consequentemente, ganha espaço para... treinar.

A mesma sequência não bateu para a equipe mato-grossense. O Cuiabá entra em campo neste sábado contra o Sampaio Corrêa, no Maranhão, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Do Nordeste, a delegação da equipe verde e amarela vem direto para o Rio de Janeiro.

"Ter uma semana de trabalho é muito bom. Tem tempo para se preparar. O Bruno (Lazaroni) não tem como se preparar em uma semana que a gente joga quarta e domingo. A gente está treinando a parte tática e técnica. É sempre bem-vindo em um calendário tão pesado como esse", comemorou Pedro Raul.

Bruno Lazaroni tem mais tempo para treinar a pressão na saída de bola do adversário e nas alternativas para explorar as investidas dos meio-campistas em direção à área. Além disto, a parte física, sem partidas durante uma semana, faz diferença. A questão é saber colocar o tempo de treinamentos dentro das quatro linhas.