Flamengo procura STJD para saber se pode contar com Paolo Guerrero

Atacante foi autorizado pelo Tribunal Federal Suíço a participar de Copa do Mundo, mas liminar não citava outras competições

Por O Dia

Guerrero não deve enfrentar o Cruzeiro
Guerrero não deve enfrentar o Cruzeiro -

Rio - O impasse acerca da punição de Guerrero ganhou um novo capítulo. Após consultar a CBF e não conseguir uma resposta sobre a condição do peruano, o departamento jurídico do Flamengo entrou em contato com o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para saber se poderá ou não escalar o atacante no Campeonato Brasileiro.

O jogador está treinando há duas semanas com o restante do elenco no Ninho do Urubu. O clube da Gávea espera receber uma resposta definitiva o mais breve possível. Na próxima quarta-feira, o Flamengo terá seu primeiro confronto após a volta do Brasileirão contra o São Paulo, atual vice-líder.

Guerrero disputou a Copa do Mundo por conta de uma liminar obtida no Tribunal Federal Suíço alguns dias antes do início do torneio. Contudo, a medida não deixava clara se era válida apenas para o Mundial ou para as outras competições. O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) aumentou a pena do doping do peruano de seis para 14 meses.

Como o caso não voltou a ser analisado até o momento, o Flamengo busca as garantias legais para se resguardar quanto ao jogador. No momento em que o Tribunal Federal Suíço concedeu a medida não havia previsão para acontecer a análise. O esperado é que até o final do ano corrente seja resolvido.

O vínculo de Guerrero com o Flamengo encerra no dia 10 de agosto. Com a proximidade do término do contrato, fica cada vez menos provável a permanência do jogador.

RELEMBRE O CASO:

No último dia 5 de outubro, após a partida das Eliminatórias entre Peru e Argentina, Guerrero foi flagrado em exame antidoping, testando positivo para benzoilecgonina, principal metabólico da cocaína. O jogador foi punido preventivamente por 30 dias. No dia 8 de dezembro, a Fifa anunciou a suspensão do atacante por um ano. Contudo, alguns dias depois, seus advogados conseguiram a redução da pena para seis meses.

Após o término da punição, Guerrero voltou a atuar pelo Flamengo e pela seleção peruana, porém quatro semanas antes da Copa do Mundo, o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) julgou os recursos do atacante, que pedia a absolvição, e a apelação da Agência Mundial Antidoping (WADA), que desejava a suspensão por dois anos. A pena do jogador aumentou de seis para 14 meses. Com isso, o jogador Rubro-negro ficaria fora dos gramados até 2019. Entretanto, a defesa do centroavante conseguiu, junto ao Tribunal Federal Suíço, uma autorização para participar da Copa.

A medida não deixava claro se o atleta poderia voltar a disputar qualquer outro campeonato após o Mundial ou se seria necessário aguardar a análise do caso. Com isso, o departamento jurídico do Flamengo entrou em contato com a CBF e a mesma indicou que procurassem a justiça suíça, responsável pela liminar.