Diretoria do Flamengo desmente negociação com chilenos

Nomes de Vargas, Sánchez e Vidal foram especulados depois de um post enigmático

Por O Dia

Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo
Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo -

Rio - Um post com ar enigmático agitou a torcida do Flamengo nas redes sociais. A conta oficial do clube no Twitter publicou foto na qual a bandeira rubro-negra aparece hasteada ao vento, ao lado de uma chilena. A hashtag "pode chegar" parecia solucionar o mistério: tem reforço a caminho. A verdade, no entanto, é que a diretoria segue concentrada nas avançadas negociações pela contratação de Vitinho, do CSKA.

Nas redes, os rubro-negros, cientes de que o clube tem dinheiro em caixa após a venda de Vinicius Júnior e acostumados com astros como Everton Ribeiro, Diego e Guerrero, sonharam alto. Nomes estrelados como Eduardo Vargas, Arturo Vidal e Alexis Sánchez foram especulados.

O Flamengo, no entanto, já faz grande esforço financeiro ao oferecer 10 milhões de euros (R$ 44,7 milhões) para comprar 100% os direitos econômicos de Vitinho. A verdade, no caso das bandeiras, perde de goleada para a versão das redes.

A assessoria do clube garante que a presença da bandeira chilena na foto é mera coincidência. A imagem, que traz o céu azul e um pedaço do mar, foi postada apenas por sua beleza. E o #PodeChegar se tratava de uma convocação à torcida para o jogo de ontem, no Maracanã.

MUDANÇA NA DIRETORIA

Cláudio Pracownik se desligou dos dois cargos que acumulava no Flamengo: as vice-presidências de finanças e administração. Ele vai assumir uma posição do alto escalão de uma grande empresa sediada em São Paulo.

O presidente do Rubro-Negro, Eduardo Bandeira de Mello, mostra tranquilidade em relação à mudança. Ele afirma já ter alguns nomes engatilhados para as duas pastas e garante que será uma transição tranquila.