'A diretoria do Fluminense não dá muito valor à base', critica Wellington Nem

Jogador afirma que apesar dos problemas tem o desejo de retornar às Laranjeiras em breve

Por rafael.arantes

Rio - Nos clubes do Rio é possível notar a presença de muitos jogadores da base no elenco principal. No entanto, o Fluminense vem prezando pela experiência ou por talentos de longe das Laranjeiras, fato que não agrada a muitos. Para o atacante Wellington Nem, vendido recentemente ao Shakthar Donetsk, a postura da diretoria em evitar a presença dos jovens não é positiva.

"Depois da eliminação (na Libertadores), a torcida passou a me vaiar. A diretoria não aumentou o meu salário. Eles não dão muito valor à base. Mas um dia eu volto", disse em entrevista à revista Placar.

Atacante foi vendido recentemente para o ShaktharDivulgação

Mesmo com os problemas, Wellington Nem ressaltou que o desejo inicial era o de permanecer nas Laranjeiras. No entanto, a boa proposta do clube ucraniano e alguns outros fatores, que preferiu não revelar, acabaram provocando a despedida.

"Eu gostaria de ficar. A eliminação na Libertadores foi um baque muito grande. Fiquei triste. A proposta do Shakhtar foi boa. Sai por outras coisas também", acrescentou.

O dinheiro equivalente à venda de Wellington Nem para o Shakthar Donetsk ainda não foi visto pelo Tricolor, que teve a quantia retida pela Procuradoria da Fazenda Nacional.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia