Mais Lidas

Molecada de Xerém em papel de protagonista no Fluminense

Sem poder contar com alguns reforços, time viu oito jogadores revelados na base na estreia no Carioca

Por HUGO PERRUSO

Calazans
Calazans -

Rio - A grave crise financeira acaba se tornando uma boa oportunidade para as revelações do Fluminense. Mesmo com as sete contratações para a temporada, o elenco tricolor tem praticamente metade formada em Xerém. Dos 33 jogadores, 15 saíram da base, desde mais experientes como Digão a estreantes como Zé Ricardo e João Pedro.

E o problema na Justiça que tem impedido o Fluminense de aproveitar jogadores importantes como Yony González e Mateus Gonçalves, contribuiu mais para mostrar o quanto o clube dependerá de suas revelações em 2019. Nada menos do que oito jogadores de Xerém estiveram em campo no primeiro jogo do ano. Digão, Ibañez, Mascarenhas, Zé Ricardo, Danielzinho e Calazans foram titulares, e João Pedro e Igor Julião entraram no segundo tempo.

"Eu acho que, pela crise financeira enfrentada pelos clubes brasileiros, temos em mente que isso é natural. Fico feliz pela vitrine que o clube dá. A gente pensa em recompensar. Seja em campo ou sendo negociado para gerar dinheiro. Eu ficaria mais feliz se conseguisse ser campeão", afirmou Igor Julião.

Seja por opção ou por necessidade, a verdade é que esse início de temporada acaba virando oportunidade para muitos provarem seu valor. Único meia no elenco, Danielzinho ganhou sua oportunidade, assim como Marquinhos Calazans, que voltou a atuar 90 minutos após um ano e meio.

"Se tem jogador da base jogando, tem merecimento. O que importa é todo mundo comprar a ideia do Fernando Diniz e termos um time. Sempre há espaço para quem tem qualidade. É isso que vai acontecer", analisou.

O atacante, inclusive, é cotado para permanecer na equipe titular amanhã contra o Americano, já que o Fluminense ainda não conseguiu derrubar a liminar do Real Noroeste (ES) que impede de completar a transferência de Yony González e outros jogadores. Já Zé Ricardo ainda não sabe se vai para o banco de reservas, pois Bruno Silva, com gripe, não treinou ontem e ainda é dúvida.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários

Molecada de Xerém em papel de protagonista no Fluminense O Dia - Fluminense

Mais Lidas

Molecada de Xerém em papel de protagonista no Fluminense

Sem poder contar com alguns reforços, time viu oito jogadores revelados na base na estreia no Carioca

Por HUGO PERRUSO

Calazans
Calazans -

Rio - A grave crise financeira acaba se tornando uma boa oportunidade para as revelações do Fluminense. Mesmo com as sete contratações para a temporada, o elenco tricolor tem praticamente metade formada em Xerém. Dos 33 jogadores, 15 saíram da base, desde mais experientes como Digão a estreantes como Zé Ricardo e João Pedro.

E o problema na Justiça que tem impedido o Fluminense de aproveitar jogadores importantes como Yony González e Mateus Gonçalves, contribuiu mais para mostrar o quanto o clube dependerá de suas revelações em 2019. Nada menos do que oito jogadores de Xerém estiveram em campo no primeiro jogo do ano. Digão, Ibañez, Mascarenhas, Zé Ricardo, Danielzinho e Calazans foram titulares, e João Pedro e Igor Julião entraram no segundo tempo.

"Eu acho que, pela crise financeira enfrentada pelos clubes brasileiros, temos em mente que isso é natural. Fico feliz pela vitrine que o clube dá. A gente pensa em recompensar. Seja em campo ou sendo negociado para gerar dinheiro. Eu ficaria mais feliz se conseguisse ser campeão", afirmou Igor Julião.

Seja por opção ou por necessidade, a verdade é que esse início de temporada acaba virando oportunidade para muitos provarem seu valor. Único meia no elenco, Danielzinho ganhou sua oportunidade, assim como Marquinhos Calazans, que voltou a atuar 90 minutos após um ano e meio.

"Se tem jogador da base jogando, tem merecimento. O que importa é todo mundo comprar a ideia do Fernando Diniz e termos um time. Sempre há espaço para quem tem qualidade. É isso que vai acontecer", analisou.

O atacante, inclusive, é cotado para permanecer na equipe titular amanhã contra o Americano, já que o Fluminense ainda não conseguiu derrubar a liminar do Real Noroeste (ES) que impede de completar a transferência de Yony González e outros jogadores. Já Zé Ricardo ainda não sabe se vai para o banco de reservas, pois Bruno Silva, com gripe, não treinou ontem e ainda é dúvida.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários