Solidário, Fluminense vê assistências crescerem

Brincadeira de pagar janta entre Everaldo e Luciano seria um 'problema' no time atual

Por HUGO PERRUSO

Everaldo abre o sorriso no Flu: peça-chave no esquema de Fernando Diniz
Everaldo abre o sorriso no Flu: peça-chave no esquema de Fernando Diniz -

Brasília - Sem nenhum astro, o Fluminense tem se mostrado um time solidário. Como a forma de jogar do técnico Fernando Diniz pede muita troca de passes e movimentações, os gols tricolores nascem de vários pés. E se a brincadeira que começou no ano passado entre Everaldo e Luciano, de pagar um jantar por assistência, fosse levada a sério pelo elenco tricolor, poderia se tornar um 'problema'.

Isso porque dos 12 gols marcados, 10 saíram em passes de companheiros. Danielzinho é o líder de assistências no elenco, com três, e poderia cobrar algumas refeições de Matheus Ferraz, Ezequiel e Yony González. O meia é seguido por Mascarenhas e Luciano, ambos com duas, Bruno Silva, Everaldo e Yony, com uma. O colombiano, aliás, é quem sairia mais no prejuízo, já que teria que pagar para Mascarenhas, Danielzinho e Everaldo pelos seus gols.

"É bom (o estilo de jogo) pois toda hora tem aproximação, dá para fazer jogada, dá para ir à linha de fundo, por dentro", disse Mascarenhas.

A brincadeira da janta aconteceu após o gol de Luciano na vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG, pelo Brasileiro de 2018. Everaldo 'cobrou' pela assistência e o companheiro pagou para a sua família. Neste ano, a história se inverteu após a goleada por 4 a 0 sobre o Americano.

Foi Everaldo quem recebeu o passe de Luciano e disse dever uma janta ao companheiro. A 'dívida' aumentou após novo gol contra o Madureira. E esse foi ainda mais especial, por ser o primeiro de Everaldo no Maracanã. "Foi um gol que esperei muito. Estava louco para ouvir o calor da torcida", afirmou Everaldo.

Comentários