Uma perda incalculável para o Fluminense

Sem Muriel, com fratura, time lutará contra a degola com o contestado Agenor e o pouco aproveitado Marcos Felipe

Por O Dia

Agenor deve ser o substituto de Muriel no gol do Fluminense
Agenor deve ser o substituto de Muriel no gol do Fluminense -

O Fluminense levou um duro golpe na luta contra o rebaixamento no Brasileiro. Ao perder Muriel, com fratura na mão esquerda, até o fim da temporada, o Tricolor ficará sem um titular considerado insubstituível e terá de se virar nas seis rodadas restantes com o criticado Agenor e o inexperiente Marcos Felipe.

Quando assumiu a titularidade, em julho, Muriel deu fim ao problema crônico no gol em 2019, já que Rodolfo e Agenor nunca passaram confiança. O tamanho da perda se mede nos números. Com o camisa 27, o Fluminense conseguiu sete das nove vitórias no Campeonato Brasileiro, e aproveitamento de 39%. Sem ele, o desempenho cai para 27%, segundo dados do Footstats.

Quando teve Rodolfo e Agenor, cada um disputando seis partidas no Brasileirão, o Tricolor somou apenas nove pontos. Graças a Muriel, o time passou a sofrer menos gols: média de 1,14. Ele não foi vazado em sete dos 21 jogos que disputou, sendo responsável por 86 defesas, 27 difíceis. Uma das melhores médias do campeonato.

Em compensação, Rodolfo levou 13 gols e só defendeu 17 bolas (oito difíceis). Titular em boa parte do ano, acabou suspenso por doping, mas já era muito contestado pela torcida por causa das seguidas falhas.

Agenor sofreu sete gols, com 15 defesas, sendo apenas duas difíceis. Além disso, o goleiro reserva, contratado por ser bom com os pés, teve problemas com a balança ao longo da temporada e nunca se firmou. Quando jogou, não passou confiança. Tanto que a diretoria não cogita renovar o contrato dele para 2020.

Para completar o drama tricolor, o terceiro goleiro, Marcos Felipe, de 23 anos, não jogou este ano e só tem três partidas oficiais pelo Flu (a última em fevereiro de 2017).

Goleiro fará cirurgia

Muriel fraturou o primeiro metacarpo da mão esquerda ao se chocar com Paolo Guerrero, do Internacional, aos 29 minutos do primeiro tempo. Ele ficou até o fim do jogo, mas, ao se apresentar nesta terça-feira, reclamou de dores. Os médicos tricolores fizeram um exame de raio-X e constataram a contusão, que é caso cirúrgico.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários