Dançar conforme a música

Hellmann fala em Flu equilibrado, mas de acordo com as possibilidades financeiras

Por O Dia

Odair Hellmann exibe a camisa tricolor entre o presidente Mário Bittencourt (E) e o diretor Paulo Angioni: o técnico ficou feliz com a volta ao clube que defendeu como jogador
Odair Hellmann exibe a camisa tricolor entre o presidente Mário Bittencourt (E) e o diretor Paulo Angioni: o técnico ficou feliz com a volta ao clube que defendeu como jogador -
Um time equilibrado, defensiva e ofensivamente, e reforçado de acordo com as possibilidades financeiras da diretoria. Assim será o Fluminense de Odair Hellmann em 2019. Apresentado oficialmente ontem, no CT Carlos Castilho, o treinador foi franco sobre as pretensões de títulos para a próxima temporada e rejeitou o rótulo de retranqueiro adquirido quando comandou o Internacional.

"Não podemos sonhar pequeno, mas temos que construir esse sonho passo a passo", disse Hellmann, que não falou sobre adjetivos ao seu trabalho. "Não gosto de rótulos. Paizão, boleirão, estudioso, ofensivo, defensivo... Dentro do que trabalhamos, quero uma equipe equilibrada, defensiva e ofensivamente", frisou o ex-jogador tricolor.

"É um prazer voltar a este clube, em que tive passagem como jogador, em um momento difícil que o clube atravessava. E vivemos final feliz. A primeira passagem foi maravilhosa. Voltar é motivo de orgulho. Tenho certeza de que faremos um bom trabalho para termos o mesmo final feliz", disse Hellmann, campeão da Série C do Brasileiro em 1999.

Hellmann evitou falar sobre o possível retorno de Fred. "Sobre especulação, qualquer manifestação pública minha muda nesse sentido. Tudo o que for relacionado à contratação, conversamos internamente, para não criar expectativa", disse, sem detalhar o possível aproveitamento de Ganso e Nenê entre os titulares.

"Qualquer análise neste momento é de quem estava fora do contexto. Quando eu me apresentar, poderei analisar melhor Nenê, Ganso e todos os jogadores", avaliou Hellmann, pronto para encarar a dura realidade financeira do Tricolor: "Poucos clubes não vivem uma parte financeira difícil. Quem está aqui trabalha com essa realidade. É preciso um trabalho de reorganização árduo. Vamos encontrar soluções".

CAIO HENRIQUE E ALLAN: APELO

Odair Hellmann pediu a Allan e Caio Henrique, que negociam a renovação de contrato, para que fiquem no Flu. Mas o presidente Mário Bittencourt revelou que, embora tenha acordo salarial com os dois, a permanência está indefinida. Liverpool e Atlético de Madrid, donos dos direitos econômicos de cada atleta, não se manifestaram.


O caso de Allan é mais tranquilo, já que o Liverpool não quer renovar o empréstimo, mas o Tricolor conversa sobre a compra. Em relação a Caio Henrique, o Atlético de Madrid tem uma oferta de R$ 54 milhões de outro clube.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários