Com eliminação, Fluminense tem prejuízo muito além do financeiro

Sem premiações e arrecadação com jogos da Sul-Americana, Tricolor teme baque no sócio-torcedor e vê pressão sobre Odair

Por O Dia

Odair recebeu muitas críticas da torcida
Odair recebeu muitas críticas da torcida -

Rio - A eliminação precoce na primeira fase da Copa Sul-Americana acarreta em enorme prejuízo ao Fluminense, não apenas na questão financeira. Além de deixar de arrecadar os 6,57 milhões de dólares (R$ 28,7 milhões) se fosse campeão — ficou com R$ 1,3 milhão da primeira fase —, o Tricolor perdeu a sua melhor chance de título em 2020. Agora, vê o plano de marketing ser atrapalhado e ainda coloca pressão no técnico Odair Hellmann e no elenco.

Sem o orçamento para 2020 divulgado, não é possível saber ao certo o quanto a eliminação para o Unión La Calera-CHI impacta no planejamento financeiro da temporada. Mas é fato que, além da premiação, o Fluminense perde outras fontes de renda, como a bilheteria e bares no Maracanã. Nos últimos anos, os jogos na Sul-Americana foram os com melhor público. Em 2019, contra o Corinthians, 57.703 pessoas compareceram, com lucro de mais de R$ 1,1 milhão no borderô.

Talvez o maior prejuízo seja na relação com o torcedor. A eliminação acontece dias antes de entrar no ar o reestruturado programa de sócio-torcedor, grande aposta da diretoria para chegar a mais de 40 mil associados. Além do desânimo sem o principal objetivo do ano, a tendência é frear o número de adesões até que os tricolores voltem a se animar. Sem falar na perda de visibilidade para oferecer nas negociações por patrocínio.

Com menos dinheiro, a diretoria também precisará rever o planejamento de gastos com o futebol em 2020. E também se vê com menos opções para levantar uma taça. Como internamente não se aposta em conquista do Brasileiro e a da Copa do Brasil é considerada difícil, o Estadual seria a tábua de salvação, assim como uma vaga na Libertadores.

Só que a pressão tende a aumentar, principalmente para os próximos jogos. Pelas redes sociais, a torcida elegeu Odair Hellmann como o culpado e criticou muito as substituições contra o Unión La Calera. A diretoria não cogita troca no comando, mas a pressão externa começa a aumentar, e a estreia na Copa do Brasil diante do Moto Club tornou-se de grande importância para dar tranquilidade ao trabalho do treinador.

E Odair precisará buscar soluções, principalmente para o problema crônico de criação no meio de campo tricolor, que mais uma vez não funcionou. "Está todo mundo muito chateado com a eliminação. Temos que retomar o mais rapidamente possível. Semana que vem temos competição parecida, mata-mata. Essa eliminação tem que doer, estamos criando uma identidade de buscar as classificações. Não deu nessa, infelizmente", lamentou o técnico.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários