Dez jogos, trinta jogadores utilizados e dilemas: o balanço de Odair no Fluminense

Tricolor volta a campo neste domingo, pela Taça Rio

Por Lance

Odair Hellmann, do Fluminense, está pressionado no cargo
Odair Hellmann, do Fluminense, está pressionado no cargo -
Rio - A estreia do Fluminense na Taça Rio, neste domingo, contra o Madureira, no Maracanã, vai ser a 11ª partida do time sob o comando do técnico Odair Hellmann. Em pouco mais de 50 dias no clube, o treinador já passou por altos e baixos e ainda procura a equipe ideal, o que é bastante plausível devido ao curto tempo para desenvolver o trabalho. No período, Odair Hellmann utilizou 30 jogadores, muitos deles da equipe sub-23, que acabaram perderam espaço com o retorno de lesionados e a chegada de reforços.

Por conta disso, a escalação do Fluminense se repetiu apenas uma vez em 2020. Isso aconteceu nos clássicos contra o Botafogo e Flamengo, pela Taça Guanabara, nos quais o Fluminense venceu por 3 a 0 e perdeu por 3 a 2. O time foi a campo com Muriel; Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Yuri, Henrique e Nenê; Wellington Silva, Evanilson e Marcos Paulo. A escalação poderia até ser mantida diante do Unión La Calera, mas Wellington Silva não estava inscrito na Copa Sul-Americana.

Exceto por Frazan que está no departamento médico se recuperando de uma grave lesão no joelho direito, Odair Hellmann possui todo o elenco à disposição e a tendência é que possa definir os titulares, já que muitas posições se encontram ainda em disputa. No ataque por exemplo, Marcos Paulo e Fernando Pacheco estão brigando por uma vaga.
 
O peruano iniciou a partida diante do Moto Club-MA, ganhando a posição do Moleque de Xerém, que tinha sido titular nas três partidas que antecederam o duelo pela Copa do Brasil. No entanto, Pacheco não aproveitou a oportunidade e viu MP marcar o seu primeiro gol na temporada, voltando a ganhar pontos importantes na disputa no setor.

No meio-campo, Hudson vinha sendo o titular ao lado de Henrique, mas perdeu a posição para Yuri, que aproveitou a oportunidade devido ao companheiro estar suspenso diante do Botafogo, melhor jogo do time na avaliação de Odair Hellmann. O setor vem recebendo muitas críticas e a tendência é de que Odair opte por um jogador com características um pouco mais ofensivas, como o próprio Hudson, Yago e até mesmo Ganso.

A defesa é o único setor que parece estar definido, principalmente após promover a entrada de Nino, que foi desfalque durante o início do ano por conta de estar servindo a Seleção Brasileira no Pré-Olímpico. No entanto, é necessário melhorar, já que apresentou muitos problemas diante do Moto-Club-MA na última quarta-feira.

Neste sábado, Odair comanda o primeiro e o último treino completo para montar o Fluminense que enfrenta o Madureira, já que na sexta-feira, os titulares realizaram um trabalho regenerativo. A tendência é que algumas mudanças possam acontecer, não só com substituições, mas também em termos conceituais de estilo de jogo.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários