Gum fez história com a camisa do Fluminense
Gum fez história com a camisa do FluminenseReprodução
Por João Vitor Campos e Pedro Logato
Rio - A conquista do Campeonato Brasileiro de 2010 pelo Fluminense, que completa no dia de hoje dez anos, foi a consagração do chamado "Time de Guerreiros", apelido que o Fluminense passou a ter, após fugir do rebaixamento para a Série B no ano anterior. Naquele elenco, ninguém encarnou mais o "espírito guerreiro" que o zagueiro Gum. Em entrevista exclusiva ao Jornal O Dia, o ídolo tricolor relembrou aquela conquista marcante que colocou de vez o seu nome na galeria de grandes nomes da história da equipe das Laranjeiras.

"Ser campeão um ano após a arrancada do rebaixamento e do vice da Sul-Americana, foi uma consolidação de um jogador que já tinha uma grande identificação pelo clube, recebendo muito carinho dos torcedores. Um jogador que a diretoria e os torcedores não queria que saísse, pelo contrário, queria que eu continuasse muitos anos e isso veio a se concretizar. Acabei ficando nove anos e meio no Fluminense. Tudo começou em 2009, mas passou por 2010 uma consolidação que foi muito importante.” 
Gum fez um ótima temporada em 2010 - André Durão
Gum fez um ótima temporada em 2010André Durão


Antes de fazer história pela Fluminense, o zagueiro Gum precisou passar por um momento muito complicado no clube carioca. Com 23 anos, o defensor chegou ao clube carioca em agosto, quando o Tricolor vivia uma fase péssima, bem próximo de ser rebaixado para a Série B.
Com a chegada de Cuca, Gum foi fundamental para a arrancada que livrou o time do rebaixamento. Além de boas atuações no Brasileiro, o jogador foi decisivo em partidas importantes na campanha até a final da Sul-Americana. Com pouco tempo de Fluminense, o jogador passou a ser um dos queridinhos dos torcedores.

"Foi algo muito importante para minha carreira. Cheguei em 2009 com a situação muito difícil, o elenco muito cabisbaixo e muito chateado com a situação de 99% de chance de queda. Ali o Cuca foi fundamental, juntamente ao elenco. Começamos a acreditar que dava para reverter e as coisas começaram a melhorar. Fico muito feliz de vê o quanto foi grandioso para mim, porque não é só o resultado em si, a pontuação que conquistamos, e sim o ambiente, que estava totalmente desanimado, e no final conseguimos algo inédito, que para muitos era impossível. Ali foi criado o "Time de Guerreiros". A consequência disso foi uma base muito forte e mantida para a conquista de 2010. Foi algo maravilhoso ser campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010", disse.
Publicidade


O começo da temporada de 2010 não foi fácil para o Fluminense. O Tricolor não conseguiu chegar até a final da Taça Guanabara e da Taça Rio e também foi eliminado precocemente da Copa do Brasil. Com isso, o Tricolor acabou fazendo uma troca no comando técnico. Cuca deixou o clube dando lugar a Muricy Ramalho. Com o experiente treinador, o Tricolor passou a ter uma outra cara e apostou todas as fichas no título do Brasileiro que acabou sendo conquistado no fim do ano.
"Minha relação com Muricy era boa. Eu tinha 24 anos, era jovem, mas era uma relação muito fácil, prática. Ele era um cara muito sério, bom coração, um caráter exemplar e trabalhador. Como ele mesmo falava, o negócio dele era trabalho (risos). Tinha uma admiração imensa por mim e por todos os atletas. Para mim foi um prazer, uma honra muito grande trabalhar com um cara tão vencedor quanto Muricy Ramalho, foi de muito aprendizado", relembrou.
Publicidade
O sistema defensivo do Fluminense foi um dos pontos altos daquela equipe. Gum e Leandro Euzébio formaram a dupla que liderou a defesa menos vazada do Brasileiro, algo que se repetiu em 2012. O zagueiro falou sobre a relação com o seu companheiro de defesa. Ao todo, os dois atuaram juntos por cinco temporadas.
Gum e Leandro Euzébio venceram dois campeonatos brasileiros para o Fluminense - Reprodução
Gum e Leandro Euzébio venceram dois campeonatos brasileiros para o FluminenseReprodução
"Tanto 2010 quanto 2012, eu e Leandro Euzébio fizemos a defesa menos vazada do campeonato, tiveram outros jogadores que nos ajudaram, mas nós jogamos praticamente o campeonato todo. Foi muito importante o entrosamento com Euzébio, a amizade que a gente tinha. Um ajudava o outro em todas as situações e foi por isso que nós tivemos sucesso."
Publicidade
Gum deixou o Fluminense no fim de 2018 aos 32 anos, após uma passagem vitoriosa e com mais de 400 jogos vestindo a camisa do clube. Hoje o zagueiro defende o CRB, depois de ter defendido a Chapecoense na temporada passada.
Fluminense encara o Athletico-PR
Publicidade
No dia em que completa dez anos do terceiro título do Campeonato Brasileiro, o Fluminense entra em campo no Maracanã em busca de uma vitória para voltar ao G-6. O rival será o Athletico-PR, às 19 horas. Sem poder contar com Fred, ainda se recuperando fisicamente após ser liberado pelo departamento médico, com Yago Felipe, que se recupera de lesão, com Yuri, Muriel e Digão, que estão em isolamento por conta da Covid-19, o Tricolor deve ir para campo com a seguinte equipe: Marcos Felipe, Calegari, Luccas Claro, Nino e Egídio; Hudson, Martinelli e Nenê; Michel Araujo, Wellington Silva e Marcos Paulo.