Ramon pede mudança de postura no Vasco: 'Pode vir Guardiola, nós que temos que mudar'

Cuzmaltino tem duelo decisivo contra Ceará na quarta-feira

Por O Dia

Ramon pede foco aos jogadores do Vasco
Ramon pede foco aos jogadores do Vasco -

Rio - Repetir a boa campanha realizada no Campeonato Brasileiro do ano passado é o grande objetivo do Vasco da Gama na temporada 2018. O momento, entretanto, não é dos melhores. O Cruzmaltino vem de três derrotas consecutivas e, apesar de possuir dois jogos a menos, se encontra na parte inferior da tabela. Vencer o próximo compromisso, diante do Ceará, é fundamental para que o Almirante inicie uma arrancada dentro do torneio nacional.

"Não podemos nos proteger dizendo que temos dois jogos a menos. Precisamos viver a realidade que estamos hoje na competição e trabalhar para sair dela. Infelizmente, na segunda-feira, já podemos entrar na zona de rebaixamento. Isso porque os jogos vão acontecer sábado e domingo. Temos que nos preparar bem para essa partida contra o Ceará, pois necessitamos vencê-la de qualquer maneira. A conversa de ontem foi de cobrança, de lavar a roupa suja, de colocar os pingos no giz. Temos que sair dessa situação o mais rápido possível", disse o lateral-esquerdo Ramon.

Embora a segunda troca técnico não fosse algo esperado pelo Gigante da Colina, o grupo de jogadores não acredita que a mesma irá dificultar a busca por objetivos maiores dentro do Brasileirão. Em 2017, quando superou os prognósticos e conquistou uma vaga para a Conmebol Libertadores, o Almirante viu seu comando técnico mudar em duas oportunidades. O episódio foi lembrado pelo experiente Ramon.

"Iniciamos ano passado com o Cristóvão, depois veio o Milton e terminamos com o Zé. Esse ano o filme está se repetindo e esperamos que o impacto de mudança seja o mesmo que em 2017. Como disse ano passado, pode vir o Guardiola ou o Mourinho, mas quem precisa mudar de atitude somos nós jogadores. Precisamos nos cobrar e mudar essa situação, pois quem joga somos nós. Somos nós que fazemos o resultado dentro de campo. É necessário zerar os erros para voltarmos a não sofrer gols. Não sofrendo gols, ficaremos mais próximos de ganhar e reverter essa situação", afirmou o camisa 27 vascaíno.

Nesta quarta-feira (15/08), pelo segundo dia consecutivo, as atividades no CT das Vargens, em Vargem Pequena, foram comandadas pelo auxiliar técnico Valdir Bigode, que já dirigiu a equipe profissional do Vasco da Gama em três oportunidades, obtendo dois empates e uma vitória. Até a definição do novo técnico, a direção da equipe ficará a cargo do ídolo, que conta com a confiança do grupo.

"Estamos acostumados com o trabalho do Valdir. Ele tem o respaldo do elenco e mais uma vez está assumindo. Costumamos brincar que ele é um cara boleirão e que sabe muito bem o que fazer quando tem uma oportunidade. Sobre o nosso momento, a palavra não é desespero, mas sim incomodação e indignação. Temos potencial para render muito mais do que estamos rendendo. Não é nem a questão do rendimento, mas da conquista dos pontos. Futebol é resultado. Não temos muitos o que falar, mas sim seguir trabalhando. Precisamos nos concentrar mais ainda e saber que os quatro próximos jogos são decisivos para mostrarmos qual será nossa briga dentro da competição", concluiu o experiente jogador.

Com informações do site oficial do Vasco da Gama