Vasco sua a camisa para voltar a vencer

Com semana livre para treinar, meta é bater o Bahia para fugir da degola

Por

Alberto Valentim busca a primeira vitória desde que assumiu o Vasco
Alberto Valentim busca a primeira vitória desde que assumiu o Vasco -

Rio - Trabalho, integral e interminável. Essa tem sido a rotina de Alberto Valentim e seus fiéis comandados na rara semana livre para treinar. A delicada situação do Vasco no Campeonato Brasileiro (18º lugar, com 25 pontos) aumentou a concentração para o jogo-chave com o Bahia, segunda-feira, em São Januário.

Com Desábato e Yago Pikachu à disposição e a volta de Bruno Silva aos treinos, após cinco dias de observação pelo choque de cabeça no clássico diante do Flamengo, o treinador cruzmaltino adotou o mistério como estratégia na reservada preparação no CT do Almirante, em Vargem Pequena.

Além de intensificar o trabalho tático e técnico, com foco no posicionamento e finalização, Valentim aposta no efeito surpresa, que rendeu frutos no duelo com o arquirrival com a escalação do lateral-esquerdo Fabrício como meia-esquerda.

"Estamos aproveitando ao máximo esses dias de treinos. Precisamos levar muitas coisas para o jogo contra o Bahia e dar um salto de qualidade. Importante é repetir coisas que fizemos contra o Flamengo. Acredito muito nos treinos", disse Valentim.

WAGNER CRITICA PRESIDENTE

Apresentado pelo Al Khor, do Catar, Wagner quebrou o silêncio após conseguir a rescisão de contrato com o Vasco na Justiça. Em nota oficial, ele reiterou o atraso de salário (CLT), direitos de imagem, FGTS e luvas, e criticou a proposta feita pelo presidente Alexandre Campello de 70% abaixo do pedido pelo apoiador para estender o contrato. Wagner tinha vencimento de cerca de R$ 400 mil.

Apesar da aprovação do empréstimo de R$ 38 milhões para fechar as contas do ano, o clube ainda vive uma situação financeira muito delicada. Alexandre Campello agendou uma reunião para avaliar a oferta de parceria com um fundo de investimento ligado a Julio Brant.

 

Comentários