Witzel propõe trégua ao Vasco e afirma: 'O Maracanã é de todos'

Governador do Rio disse que não quer mais ter embates com Alexandre Campello

Por O Dia

Wilson Witzel teve encontro recente com Alexandre Campello
Wilson Witzel teve encontro recente com Alexandre Campello -

Rio - O Governador do Rio, Wilson Witzel, resolveu levantar uma bandeira branca para o Vasco na questão envolvendo a gestão do Maracanã. Em entrevista à Rádio Tupi, ele afirmou que "o Maracanã é de todos" e propôs uma trégua ao presidente cruzmaltino Alexandre Campello.

"Eu estou convidando o presidente do Vasco para acabarmos com essa conversa para lá e para cá. O Maracanã é de todos. Se houve algum problema, vamos conversar. Não há necessidade de ficarmos nos digladiando sem que sente para conversar. Fui juiz por 17 anos e o que eu sei fazer é uma audiência de conciliação", afirmou Witzel, que ainda revelou ter carinho pelo clube. "Eu jamais prejudicaria o Vasco, até porque minha esposa e minha filhinha Bárbara são vascaínas, eu teria um gravíssimo problema em casa. Tenho um carinho profundo pelo Vasco, pelos jogadores, pelo presidente, que já estive lá com ele... Então, o que eu quero é que todos tenham a certeza de que ninguém será prejudicado. Quando tirei o Maracanã da mão do consórcio, é porque os clubes estavam sendo prejudicados."

Procurado para comentar as declarações do governador, Campello demonstrou estar aberto ao diálogo, mas deixou claro que o Vasco não mudará sua posição em relação ao estádio.

"Acho que é bastante interessante que o governador queira nos ouvir e esteja, de fato, atento ao Maracanã porque é uma questão bastante sensível. Não interessa ao Vasco tê-lo somente para jogar como um campo. Precisamos entender que o Maracanã é um equipamento que custou ao estado mais de R$ 1 bilhão e é uma ferramenta que proporciona não só a possibilidade de mandar seus jogos, mas também de trazer uma série de possibilidades de arrecadação. Dar a um único clube a gestão significa provocar um desequilíbrio muito grande entre as equipes do Rio. É isso que o Vasco tem defendido e vai defender até o fim", disse o dirigente cruzmaltino.

Comentários