Pior campanha na Série A: Vasco evolui pouco com Luxa e vive momento crítico

Cruz-Maltino tem números piores até do que tinha em 2015, quando sofreu o último rebaixamento

Por Lance

Luxa e Rogério Ceni
Luxa e Rogério Ceni -
Rio - O Vasco chegou a ficar muito perto da vitória no Castelão, neste domingo. E se a partida não foi tecnicamente bonita, o bom rendimento de Rossi e o acerto de Yago Pikachu no pênalti iam dando o que o time tanto precisava. Porém, os erros de um passado não tão distante pesaram novamente e deram o empate ao Fortaleza enquanto o Cruz-Maltino amarga a lanterna em mais uma rodada.

Com apenas três pontos em seis partidas, esta campanha se igualou a de 2015, a pior do clube na era de pontos corridos do Brasileirão. Naquela ocasião, nesta rodada, o Cruz-Maltino tinha os mesmos três pontos, mas havia sofrido nove gols. Neste ano, são 12. Em 2008, o clube tinha oito pontos neste momento, com duas vitórias e dois empates. Já em 2013 foram sete pontos conquistados.

Um dos problemas da equipe que deixa a campanha ainda pior é o desempenho ruim fora de casa. A última vitória do Vasco longe do Rio de Janeiro foi na penúltima rodada do Brasileirão de 2017, quando bateu o Cruzeiro por 1 a 0. Em 2018, o Cruz-Maltino chegou a vencer o Fluminense como visitante, mas a partida foi no Maracanã. E se os jogos em casa eram a esperança, neste ano o time ainda não conseguiu ter atuações consistentes. São dois empates e uma derrota como mandante.

Antes da parada para a Copa América, o Vasco espera melhorar esses números. Além do clássico contra o Botafogo no Estádio Nilton Santos, a equipe ainda receberá o Internacional e o Ceará em casa. Não são adversários considerados fáceis, mas os vascaínos tem tempo para a preparação, já que a última partida será no dia 13 de junho e o time tem apenas o Brasileiro no calendário.

Outro problema que assombra a equipe são os gols sofridos após os 30 minutos do segundo tempo. Agora, são 11 dos 39 totais em 2019.

"Isso pertence ao futebol. Depois eu começo a tomar gol no início e vai ser a mesma coisa. Como disse no último jogo, tem que ter malandragem, furar a bola, não tem mais jogo. É normal, ganhar tempo. Os jogadores querem muito reverter a situação e isso traz uma ansiedade", avaliou Luxemburgo.

Veja os jogos:

Juazeirense 2x2 Vasco - 32 minutos
Vasco 3x2 Avaí - 39 minutos
Cabofriense 2x0 Vasco - 35 minutos
Vasco 1x2 Bangu - 47 minutos
Vasco 1x1 Flamengo - 48 minutos
Vasco 0x2 Flamengo - 31 minutos
Flamengo 2x0 Vasco - 38 minutos
Athletico-PR 4x1 Vasco - 41 minutos
Vasco 1x2 Atlético-MG - 45 minutos
Vasco 1x1 Avaí - 49 minutos
Fortaleza 1x1 Vasco - 43 minutos