Evolução e resgaste do orgulho entre os jogadores marcam início do trabalho de Luxa

Comissão técnica definiu Foz do Iguaçu como refúgio durante pausa no Brasileiro

Por O Dia

Luxemburgo conseguiu fazer Vasco evoluir taticamente, mas admite que há muito trabalho a ser feito
Luxemburgo conseguiu fazer Vasco evoluir taticamente, mas admite que há muito trabalho a ser feito -
Rio - Diz o trecho de um cântico que ecoa na arquibancada de São Januário que 'o sentimento não pode parar'. Ao assumir o Vasco, Vanderlei Luxemburgo assumiu o desafio de resgatar no jogadores e, consequentemente, no torcedor o orgulho de ser vascaíno. Na primeira vitória no Campeonato Brasileiro, por 2 a 1 sobre o Internacional, a equipe apresentou sinais de evolução tática e física.
A garra é uma característica marcante que o torcedor pôde perceber nos cinco confronto sob o comando de Luxa. Na campanha de resgate na tabela da competição e do 'sentimento' de vestir a camisa do Vasco, o treinador agitou positivamente o ambiente na Colina.
"Entramos determinados. Não podemos deixar escapar os pontos em casa, São Januário o caldeirão. Acredito que a evolução é visível para todos. Não trabalhei com muitos treinadores... Vanderlei, a experiência que ele tem, pode nos ajudar bastante. Ele vem nos motivando e dando força. Nosso time é capaz de sair dessa situação", disse Marcos Júnior, uma das apostas do professor Luxemburgo.
RECESSO NO SUL
Foz do Iguaçu, no Paraná, foi o local escolhido pelo Vasco abrigar parte da preparação durante a pausa no Brasileiro para a disputa da Copa América. De Foz do Iguaçu, delegação deve seguir direto para Ponte Alegre, onde enfrentará o Grêmio, no dia 14 de julho.
Com intenção de reduzir o inchado grupo, Vanderlei Luxemburgo pretende definir a lista de jogadores que estão nos planos, incluindo 'reforços' do departamento médico (Leandro Castan, Breno e Ramon) e pelo menos três contratações pontuais.

Comentários