Funcionários do Vasco fazem greve e fecham portão de São Januário

Clube passa por grave crise financeira

Por O Dia

O presidente do Vasco, Alexandre Campello
O presidente do Vasco, Alexandre Campello -
Rio - O Vasco conseguiu a sua primeira vitória no Brasileiro na semana passada, mas o momento no clube ainda é bem delicado. Nesta quarta-feira, São Januário amanheceu de portas fechadas. Funcionários do Cruzmaltino fazem uma greve por conta de salários atrasados. As luzes do estádio estão desligadas, e os alunos do colégio Vasco da Gama foram dispensados das aulas da manhã. 
Na última semana, a equipe carioca viveu um momento de turbulência política. O atual presidente do Vasco, Alexandre Campello teria ameaçado renunciar ao cargo, caso o Conselho Deliberativo desse continuidade a uma denúncia fiscal sobre a sua gestão. No entanto, graças ao apoio de Euriquinho, filho do ex-presidente do clube, Eurico Miranda, morto esse ano, Campello conseguiu votação favorável.
O Vasco fará nesta quinta-feira a sua última partida no Campeonato Brasileiro antes da parada para a Copa América. O Cruzmaltino recebe o Ceará, em São Januário, às 19h15.
 

Comentários