Ídolo do Vasco explica motivo de ter recusado o Flamengo: 'Seria uma traição'

Ex-jogador despertou interesse do Rubro-Negro em 1997

Por O Dia

Carlos Germano
Carlos Germano -
Rio - Novo preparador de goleiros e ídolo do Vasco, Carlos Germano relembrou que recebeu uma proposta do Flamengo em 1997. Durante uma live no Instagram do "90min", o ex-goleiro explicou os motivos de ter recusado a oferta rubro-negra.
"Eu estava servindo a seleção brasileira na Copa América e depois fomos para a Copa das Confederações. Voltei sem contrato e houve uma demora na renovação. Na época, quando terminava o contrato, o seu passe era fixado na CBF. Qualquer clube que chegasse com o dinheiro poderia fazer o depósito e comprava. E surgiu a possibilidade do Flamengo. Um certo dia, o Zagallo, que continuava me convocando, me disse: 'Meu filho. Tô ficando sem saída. Ou você joga ou não vou poder ter convocar mais'. Aí veio a notícia de que o Vasco voltou com a ideia de conversar, e eu estava realmente afastado, sem treinar no clube. Mas, quanto ao Flamengo, descartei. Mesmo se depositasse eu não iria assinar. Você não pode trair a confiança de quem gosta de você. Seria para o torcedor do Vasco uma traição. Jamais faria isso", explicou.
Carlos Germano foi um goleiro histórico no Vasco. Com a camisa cruzmaltina, conquistou os Cariocas de 1992, 1993, 1994, 1998, o Brasileiro de 1997, a Libertadores de 1998 e o Rio-São Paulo de 1999.

Comentários