Goleiro do Vasco admite que atraso nos salários afeta elenco

Arqueiro também admitiu que mudanças ocorridas na virada do ano atrapalharam o planejamento do Vasco em 2020

Por O Dia

RIO DE JANEIRO, RJ - 14.10.2018 - VASCO-CRUZEIRO - Fernando Miguel, do Vasco, durante partida valida pela vigesima nona rodada do Campeonato Brasileiro, realizada no estadio de Sao Januario, na cidade do Rio de Janeiro, na tarde deste domingo(14). (Foto: Marcelo Goncalves/Photo Premium/Agencia O Dia)
      Local
RIO DE JANEIRO, RJ - 14.10.2018 - VASCO-CRUZEIRO - Fernando Miguel, do Vasco, durante partida valida pela vigesima nona rodada do Campeonato Brasileiro, realizada no estadio de Sao Januario, na cidade do Rio de Janeiro, na tarde deste domingo(14). (Foto: Marcelo Goncalves/Photo Premium/Agencia O Dia) Local -
Rio - O Vasco tem convivido com os problemas financeiros nos últimos anos e a situação piorou ainda mais com a pandemia do novo coronavírus. Um dos líderes do atual elenco, o goleiro Fernando Miguel afirmou que os jogadores são afetado pelo atraso de salários.
"Terminamos o ano com problemas financeiros e isso afeta o elenco sim. Uma coisa é jogar e saber a limitação do time, mas outra é a limitação que afeta sua casa. Quando a dificuldade atinge sua família tem que ter tranquilidade para administrar, principalmente com os mais jovens”, disse ao canal Atenção Vascaínos, no Youtube.
Fernando também admitiu que as mudanças ocorridas na virada do ano atrapalharam o planejamento do Vasco na atual temporada. O clube perdeu o técnico Vanderlei Luxemburgo e muitos jogadores considerados titulares.

“A gente sabe que esta temporada não será da mesma forma do ano passado. Tivemos muitas perdas de jogadores do elenco. Ficou um pouco distante do que queríamos não só de elenco como de comando, com muitas mudanças. Mas isso não pode servir de desculpa”, comentou.

Por fim, Fernando Miguel falou sobre a efetivação do técnico Ramon Menezes. Para o goleiro, o novo comandante conhece o elenco e deve ter adaptação rápida.

“Acho que é importante ter pessoas que conheçam o clube. O Ramon já está conosco há mais de um ano. A afinidade já existe. As ideias deles já conhecemos algumas coisas do período que está com a gente. O futebol brasileiro não é diferente e seremos cobrados para buscarmos as vitórias”, concluiu.

Comentários