Vasco bate o Ceará e volta à liderança do Brasileiro após oito anos

No Castelão, Cano, Fellipe Bastos e Ribamar garantiram os 100% do Vasco

Por MARCELO BERTOLDO

Infalível: o argentino Germán Cano, mais uma vez, balançou a rede
Infalível: o argentino Germán Cano, mais uma vez, balançou a rede -
A eficiência é a marca do novo líder do Brasileiro. Depois de oito anos, o Vasco voltou à ponta da tabela com a vitória por 3 a 0 sobre o Ceará, nesta quinta-feira, no Castelão. Com 100% de aproveitamento, o Cruzmaltino conta com dois jogadores na artilharia da competição: Fellipe Bastos e Cano, responsáveis pelo triunfo, com três gols. Ribamar fechou o resultado, no fim.
Acomodação não reflete o pensamento de Ramon Menezes à frente do Vasco. Com Cláudio Winck e Neto Borges como novidades, o treinador apostou na mudança na tentativa de aumentar o volume ofensivo pelos lados e surpreender o Ceará. A estratégia não funcionou com a formação inicial.
Em busca da primeira vitória na competição, os donos da casa se impuseram. Com intensidade na marcação e na transição para o ataque, Guto Ferreira, além de encurralar o adversário na defesa, anulou a saída de bola com Fellipe Bastos e Andrey. Descolado para a direita, Benítez não teve espaço.
'Engessado', o Cruzmaltino não fez a bola chegar a Talles Magno e a Germán Cano. Discreto, Winck não comprometeu. Improvisado no meio de campo, Neto Borges, lateral-esquerdo de origem, não correspondeu na esperada dobradinha com Henrique. Sem ritmo, errou passes simples e saiu no intervalo.
Com a entrada do volante Bruno Gomes, Ramon Menezes tentou corrigir o problema e liberar, com moderação, Fellipe Bastos e Andrey. Se faltava criatividade, sobrava aplicação na marcação. Mas não era suficiente para vencer. Na melhor chance que teve no jogo, o Vasco foi preciso. A pressão de Benítez na saída de bola de Luiz Otávio valeu a pena. A bola sobrou para Andrey, que descolou um açucarado entre dois marcadores para deixar Cano livre para abrir o placar, aos 22 minutos do segundo tempo.
Foi o 12º gol do atacante argentino em 16 partidas, o terceiro no Brasileiro. A mudança de postura mostrou o caminho que o Vasco deveria seguir para assegurar a vitória. Nem mesmo a bola na trave de Rafael Sobis foi suficiente para intimidar ou fazer o Vasco recuar.
Depois da boa jogada de Benítez, Talles Magno divide uma bola na entrada da área, que sobra para a bomba de Fellipe Bastos aumentar a vantagem no Casteão, aos 32 minutos: 2 a 0. Nos acréscimos, Carlinhos descolou ótimo passe para Ribamar, que selou a vitória e garantiu o Vasco na liderança.

Comentários