Quebra-cabeça testa a força do 'Ramonismo' em duelo na Vila Belmiro

Com oito desfalques, Vasco visita o Santos, na Vila Belmiro, em duelo para se manter no G-4 do Brasileiro

Por MARCELO BERTOLDO

Com três gols no Brasileiro, Cano passou em branco nos últimos dois jogos
Com três gols no Brasileiro, Cano passou em branco nos últimos dois jogos -

Encaixe e poder de organização. Duas virtudes do elogiado trabalho de Ramon Menezes serão colocadas à prova no confronto com o Santos, nesta quarta-feira, às 21h30, na Vila Belmiro. Com oito desfalques, o Cruzmaltino terá que mostrar força para se manter no G-4 no Brasileiro. Sem Ricardo Graça, que testou positivo para o novo coronavírus, e Leandro Castan, poupado, a equipe terá uma formação inédita no setor. Miranda, Ulisses ou Marcelo Alves terão a missão de segurar Soteldo, Marinho e Raniel.

Além da gestão técnica, a clínica preocupa a comissão técnica do Vasco. Afinal, o clube chegou a 26 casos de covid-19. Depois de Bruno Gomes e Vinícius, que devem perder mais duas rodadas, a lista de infectados aumentou após os testes positivos de Werley, reserva imediato na zaga, Breno e Ricardo Graça, que ficarão fora de combate nos próximos nove dias. Outros dois funcionários testaram positivo para covid-19.

Cláudio Winck, machucado, e Talles Magno, suspenso, são outras opções que farão falta no quebra cabeças cruzmaltino. A volta de Andrey é importante, mas não resolverá todos os problemas. Apostas no clássico com o Fluminense, Carlinhos e Guilherme Parede estão ameaçados, pois Ramon não descarta uma formação mais compacta para minimizar a falta de entrosamento.

Catatau estreia

A escalação do trio de volantes de boa saída, como Fellipe Bastos, Andrey e Juninho será a solução para reforçar a marcação, sem abrir mão de atacar. Benítez, mais uma vez, terá liberdade para se aproximar do ataque, que terá a estreia de Ygor Catatau como grande novidade. Destaque do Madureira do Carioca, o atacante terá a missão de 'alimentar' Germán Cano.

Artilheiro do Vasco no Brasileiro, com três gols, o atacante argentino passou em branco nos últimos dois jogos. O meio de campo povoado com bons passadores pode ser a solução de 'emergência' para o confronto com o Santos.

 

Comentários